Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2012

História da Música - Parte I - cont.

História da Música — Parte I: Introdução (continuação)
         Não somente as classes menos instruídas, mas, agora, musicistas, maestros, profundos conhecedores de música, freqüentadores de óperas, recitais, sinfonias e concertos não mais puderam ignorar o crescente fenômeno do que antes reputavam subcultura: Requintados teatros passaram a ombrear com amplas concentrações de massa, estimuladas por apresentações de artistas de grande apelo popular, dado o aparecimento de gêneros como o samba, no Brasil, com seus desfiles  carnavalescos; e o rock´n´roll. O rock, como ficou mundialmente conhecido, operou verdadeira revolução de costumes; egresso da música negra de raiz norte-americana, influenciou, a partir dos anos 1950, de modo irreversível, hábitos, vestuário, modos de ver o mundo e postar-se diante dele, com reflexos no âmbito político, tendo como um de seus principais momentos o Festival de Woodstock, realizado na cidade rural de Bethel, estado de New York, Estados Unidos, entre os …

PALAVRA SOLTA - Cida Micossi

AÇÃO DO CORAÇÃO Cida Micossi
E a praça se abriu, Se coloriu, floresceu... Dezenas, centenas, milhares De corações expostos Em forma de oração Fizeram sorrir e chorar, Fizeram pessoas amar E amor doar.
Todas emanando vibrações: Pessoas de muitos lugares, Pessoas de vários falares Na doação do Amor, A língua universal!
cida.micossi@gmail.com
02/08/2012

DETETIVE LITERÁRIO - Jorge Amado - por Sonia Adharias

"A obra de Jorge Amado nunca excitou a academia. Os críticos implacáveis, apontavam personagens caricaturais, vazias, enredos melodramáticos, com soluções sobrenaturais, apelando ao sincretismo religioso, para conflitos sociais concretos; conteúdo panfletário,machista, folclórico; linguagem popularesca,com pornografia gratuita; pano de fundo populista mais que socialista. Havia defesas veementes de Roger Bastide, Albert Camus, Jean Paul Sartre, Pablo Neruda, dentre outros. Para os estrangeiros, seus romances são uma espécie  de carteira de identidade do Brasil. Jorge seria um simples contador de histórias, antiintelectual, criador de personagens que ganharam vida própria até em outros campos da arte. Não mediu esforços para chegar ás massas.O sucesso de público foi imediato. De certa forma Amado foi canonizado pelos leitores, acredita Eduardo de Assis Duarte autor de "Jorge Amado: Romance em tempo de Utopia "Ele colocou o povo como personagem para ganhá-lo como leitor…

PALAVRA SOLTA - Clara Sznifer

BOLHAS URBANAS Clara Sznifer
Um roubo de que fui vítima trouxe à tona algumas reflexões sobre a cidade em que vivemos e a convivência entre os indivíduos nos dias de hoje.       Ao retornar normalmente numa tarde ensolarada de Abril dos afazeres cotidianos, deparei-me com uma cena dantesca. O apartamento todo revirado como se um furacão o tivesse assolado. Não havia sinais de arrombamento porém jóias e dinheiro haviam sido furtados. A sensação imediata foi de revolta e impotência.

O CARTAZ EM CARTAZ - por Miro Antunes

cartazes para Maurice

 Onibaba - 1965, direção de Kaneto Shindo. Um grande filme do diretor de "A Ilha Nua", em que uma máscara adere ao rosto de uma personagem como que se integrando a seu corpo pela própria maldade.


  O Pai do Soldado - 1964, direção de Rezo Chkhcheidze. Clássico do cinema soviético,    em que pai vai à procura do filho que se encontra na frente soviética contra os alemães.     A frente soviética foi muito mais importante na derrota dos alemães do que o chamado "Dia D", mas Holywood fez a super-produção "O Mais Longo dos Dias", em que até John Wayne largou o cavalo para lutar contra os nazistas.

CARTAZ EM CARTAZ - por Miro Antunes

Ideia para um cartaz para o filme de Glauber, DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL, que Maurice exibiu várias vezes. Este ficou só na ideia.
Cartaz elaborado contra o golpe de 11.9.1973 no Chile, com a colaboração do governo brasileiro.