Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2013

Palavra - poema Cláudia Brino

(sem título)

Palavra…
Luz ingrata! Admitais ao menos uma vez que pela gramática fostes domesticada. Palavra… tremor da fala, pensamento febril da boca que cala. Palavra… inventário da galáxia, dormiteis no feto de uma rima rara. Palavra… Limbo cotidiano, vossa proeza é deixar pó, como objeto, na língua daquele que vos fala.
(do livro Palavra)

PAPYROU- o maior livro do mundo

The Collection, Obama and Pluralismé o livro mais grosso do mundo
tem nada mais, nada menos que 5.472 páginas. São 34cm de espessura dedicados à vida de Barack Obama, o presidente dos EUA! 
A maioria dos autores demora mais ou menos um ano para escrever um livro de mais ou menos 200 páginas. Acredite se quiser, o maior livro do mundo foi escrito em 5 dias. Segundo o site The Epoch Times, o livro foi escrito com a ajuda de 40 pessoas.

VARAL DO BRASIL - Participe

- Atendendo o pedido de nossos escritores e leitores, faremos para abril o segundo volume do Varal do Amor em todas as suas formas! A revista terá, no máximo, cem participantes e a data limite para o envio dos textos, em prosa ou verso, será 25 de fevereiro.
- Você pode contribuir com artigos, crônicas, contos, poemas, versos, enfim!, você pode escrever para nosso blog. Também pode enviar convites, divulgação de seus livros, pinturas, fotografias, desenhos, esculturas. Pode divulgar seus eventos, concursos e muito mais. No nosso blog, como em tudo no Varal, a cultura não tem frescuras! (www.varaldobrasil.blogspot.com) Toda contribuição é feita e divulgada de forma gratuita e deve ser enviada para o e-mail varaldobrasil@gmail.com
- Os nomes autores, participantes e uma prévia da capa do livro Varal Antológico 3 já foram liberados! Tudo está em nosso site: www.varaldobrasil.com. O livro será lançado dia 03 de maio durante o 27º Salão do Livro de Genebra e em agosto em Florianópolis. V…

A POETA E A ESTÁTUA - fique por dentro

Autor do Monumento às Bandeiras, Brecheret deixou obras não apenas no Cemitério da Consolação, mas também no Cemitério do Araçá onde uma linda escultura com quase três metros de altura e possuindo três toneladas, chamava a atenção dos visitantes em uma estreita quadra. Uma escultura que possuía nome e sobrenome: Musa Impassível.
A obra adornava o túmulo da poetisa Francisca Júlia, falecida no dia 1 de novembro de 1920.  Poderia ser uma história simples, uma escultura feita para homenageá-la postumamente, mas a trajetória de Francisca Júlia e da Musa Impassível são dignas para questionar a valorização histórica do espaço cemiterial e das pessoas que ali estão sepultadas.   A HISTÓRIA DA MUSA IMPASSÍVEL link enviado por Madeleine Alves

NOTA MUSICAL - aniversariante do dia

Um dos maiores nomes da cena lírica mundial aniversaria hoje, 21 de janeiro: o cantor e regente Plácido Domingo completa 72 anos. Ele nasceu em Madri, mas cedo se transferiu para o México. Seus pais eram cantores de zarzuela e a companhia em que trabalhavam foi para aquele país em turnê. A família lá permaneceu. Em 1959, aos 18 anos, ingressou na Ópera Nacional do México. Nas audições, apresentou-se como barítono, mas foi aprovado como tenor (interessante notar que, poucos anos atrás, Domingo voltou a cantar também como barítono). A projeção mundial começou nos anos 1960. Cantando no Metropolitan Opera House, logo superou o recorde de quatro aberturas de temporadas, que até então pertencia a Enrico Caruso. Suplantou e muito a marca: chegou a a abrir 21 temporadas do Metropolitan. Nos anos 1990, formou Os Três Tenores com Luciano Pavarotti e José Carreras. Entre as centenas de gravações de Domingo, está a ópera "O Guarany", de Carlos Gomes, sob regência de John Neschling. Há …

Cabeça Ativa ESPELHO no CAPITAL

FAMA - Feira de Autores da Mata Atlântica

Ler poesia é mais útil para o cérebro

Ler poesia é mais útil para o cérebro que livros de autoajuda, dizem cientistas
Ler autores clássicos, como Shakespeare, William Wordsworth e T.S. Eliot, estimula a mente e a poesia pode ser mais eficaz em tratamentos do que os livros de autoajuda, segundo um estudo da Universidade de Liverpool publicado nesta terça-feira (15). Especialistas em ciência, psicologia e literatura inglesa da universidade monitoraram a atividade cerebral de 30 voluntários que leram primeiro trechos de textos clássicos e depois essas mesmas passagens traduzidas para a "linguagem coloquial".
Os resultados da pesquisa, antecipados pelo jornal britânico "Daily Telegraph", mostram que a atividade do cérebro "dispara" quando o leitor encontra palavras incomuns ou frases com uma estrutura semântica complexa, mas não reage quando esse mesmo conteúdo se expressa com fórmulas de uso cotidiano. Esses estímulos se mantêm durante um tempo, potencializando a atenção do indiví…

NOTA MUSICAL - Rascunho de Anos Dourados

No ano de 1986, Chico Buarque e Tom Jobim compuseram a música “Anos Dourados”.
A letra da música em português, batida a máquina de escrever, contém observações e alterações que seriam aplicadas na versão final. 
No lado direito, ainda há uma versão em inglês (com trechos em espanhol) da letra, escrita a mão por Tom Jobim.

A música, cantada por Chico Buarque, fez parte do LP “Passarim”, de Tom Jobim, lançado em 1987.
Para a composição, Chico ficou incumbido da letra enquanto Tom Jobim faria a melodia. O prazo de entrega do trabalho pronto foi definido: um mês antes da estréia da minissérie Anos Dourados, da Rede Globo (1986), já que a música seria tema da mesma.
Tom Jobim cumpriu o prazo estipulado, enquanto Chico   Buarque, sobrecarregado com compromissos pessoais, entregou a letra um mês após o término da minissérie.
Por conta disso, na abertura original da minissérie havia apenas a versão instrumental, e apenas nas reapresentações posteriores é que incluíram a versão cantada.
por…

Nobel, por falta de opção

Autor de "As Vinhas da Ira" recebeu Nobel por falta de opção, revelam documentosDE SÃO PAULO
"Por seus trabalhos realistas e imaginativos que combinam humor, simpatia e percepção social incisiva." Oficialmente, o escritor norte-americano John Steinbeck (1902-1968) ganhou o Prêmio Nobel de Literatura de 1962 por essas razões. Documentos divulgados pelo jornal "Svenska Dagbladet" revelam que a Academia Sueca, na verdade, concedeu o prêmio ao autor por considerar que não havia "nada melhor". Associated Press John Steinbeck, autor do livro "As Vinhas da Ira", em foto de 1965De acordo com o jornal, o autor de "As Vinhas da Ira" bateu outros 66 candidatos apesar de não estar no auge de sua carreira literária. Mas os outros finalistas, o dramaturgo francês Jean Anouilh, a escritora dinamarquesa Karen Blixen e os britânico Lawrence Durrell e Robert Graves não conseguiram convencer os quatro integrantes do júri. Um deles, …

rojão - contopoema de Cláudio Feldman

conto poema inédito



rojão
1 taquarituba ruas milharais meia dúzia de rostos queimados de tédio e sol aí rebenta rojão equino pampo-pedrês que conta dança desata nós palhaceia

Trajes Poéticos - MOIRÃO

é um gênero de cantoria popular brasileira que se efetua em forma de diálogo. A estrofe é composta por sete versos, sendo que o 1º adversário canta os dois versos iniciais e os três finais, cabendo ao outro adversário o terceiro e o quarto versos, com revezamento nas estrofes.
Veja os poemas

Epitáfio de Benjamin Franklin

Aqui jaz, 
largado aos vermes
o corpo de Benjamin Franklin, impressor.
Como a capa de um livro 
cujas folhas foram arrancadas
e a douração e o título apagados.
Mas por isso não está a obra perdida;
ela reaparecerá,
como ele cria,
em nova e melhor edição,
revista e corrigida
pelo Autor.

(escrito pelo próprio Benjamin)

Trajes Poéticos - Anadiplose

Repetição da última palavra ou frase no começo do verso seguinte.
Veja os poemas

Trajes Poéticos - Pantun

Tipo de poema estrófico, originário da Malásia e introduzido na literatura francesa por Victor Hugo. Compõe-se de uma série de quartetos, em que o segundo e quarto versos de um vão, ressurgir como primeiro e terceiro na estrofe seguinte, até ao último que termina com o verso inicial do poema.
Veja os poemas

Nota Musical - Aniversários

O ano de 2013 se inicia trazendo aniversários musicais importantes. Veremos muitas programações voltadas ao bicentenário de nascimento dos compositores Giuseppe Verdi (1813-1901) e Richard Wilhelm Wagner (1813-1883), dois gigantes no terreno da ópera. Também serão bastante lembrados o centenário de nascimento do compositor inglês Benjamin Britten (1913-1976) e o centenário de estreia de “A Sagração da Primavera”, um marco naobra de Igor Stravinsky (1882-1971), na música  do século XX e para a dança moderna. A principal efeméride musical clássica brasileira são os 150 anos de nascimento do compositor Ernesto Nazareth (1863-1934). A notar, também, os duzentos anos da morte do compositor mineiro do período colonial Manuel Dias de Oliveira (data desconhecida-1813). Celebrações de datas como tais são excelentes oportunidades de apresentar os compositores para novos públicos e também aprofundar o conhecimento para os que já conhecem e gostam de música clássica.

por Ivan Pereira Santos …

Nota Musical - Constanze Mozart

Constanze Mozart (1762-1842), mulher de um dos maiores gênios musicais de todos os tempos, nasceu em 05 de janeiro. Foi fundamental na vida de Wolfgang Amadeus Mozart e trabalhou muito pela difusão da obra do marido após sua morte. Oriunda da família de músicos Weber — Carl Maria von Weber é um primo —, estudou canto com o pai. Mozart escreveu o solo da “Missa em dó menor” para sua voz de soprano. Quando o marido complicou-se financeiramente, negociou dívidas e organizou sozinha a mudança da família. Contava 29 anos ao falecer Mozart, em 05 de dezembro de 1791. Lutou contra a instabilidade financeira enquanto empenhava-se em manter vivo o legado do grande compositor, buscando a publicação de partituras, colaborando na primeira biografia do marido, organizando concertos e recitais junto com as irmãs Josefa e Aloysia (também reconhecidas sopranos). Constanze chegou a casar-se novamente, com o diplomata dinamarquês Georg Nissen.
por Ivan Pereira Santos Júnior

FotoPoesia - Clara Sznifer

Drummond - por Clara Sznifer

Carlos Drummond de Andrade
(...) Pois de tudo fica um pouco.
Fica um pouco de teu queixo
no queixo de tua filha.
De teu áspero silêncio
um pouco ficou, um pouco
nos muros zangados,
nas folhas, mudas, que sobem. Ficou um pouco de tudo
no pires de porcelana,
dragão partido, flor branca,
ficou um pouco
de ruga na vossa testa,
retrato. (...) E de tudo fica um pouco.
Oh abre os vidros de loção
e abafa
o insuportável mau cheiro da memória. (Resíduo)

SEJA A ESTRELA DESTA FESTA! - Participe

SEJA A ESTRELA DESTA FESTA!
O Varal do Brasil estará presente com um stand onde terá o prazer de apresentar a literatura brasileira e de língua portuguesa em geral, com os autores conquistando uma janela de visibilidade muito expressiva num dos mais renomados eventos literários da Europa. 
TRAGA SEU LIVRO - 

Aquele ser - poema André Foltram

aquele ser
                      aquele ser sem gosto                       aquele ser sem jeito                       aquele ser que dorme
                      sobre teu nobre leito
aquele ser sem gosto
aquele ser sem cura aquele ser no encosto aquela alma escura

Trajes Poéticos - TRIOLÉ

É de origem francesa, adaptado do francês “triolet”

Composto por uma estrofe de oito versos, na qual o 1.º, o 4.º e o 7.º são iguais, e o 8.º é a repetição do 2.º

****


os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso..              

Trajes Poéicos - TELÉSTICO

Composição poética na qual certas letras utilizadas no fim do verso formam um nome ou uma palavra.

*******

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.

Trajes Poéticos - EPANORTOSE

figura de linguagem que anula, modifica, ou corrige intencionalmente uma palavra ou frase dita anteriormente.
EX: - Gosto muito de Ângela. Não, minto. Amo-a demais! - Odeio-te, destruidor de lares. Não! Enganei-me. Abomino-te
veja os poemas

Trajes Poéticos - DEPRECAÇÃO

espécie de figura em que se manifesta um desejo, mas, ao contrário do que sucede na OPTAÇÃO, aqui há o pedido expresso para uma pessoa ou entidade.

Veja os poemas

Trajes Poéticos - RIMA AMPLIFICADA

rimas em que a primeira palavra de um verso deriva-se da última palavra do verso anterior, amplificando-a.



*************

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.

Trajes Poéticos - ACRÓSTICO

- Composição poética na qual as letras utilizadas no início do verso formam um nome ou uma palavra

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.

Trajes Poéticos - MICROLOGIA

Qualquer composição literária breve.

****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.

Trajes Poéticos - EPANALÉPSE

quando repete a mesma palavra ou expressão no começo e no fim do mesmo verso.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.

Trajes Poéticos - GAZAL

- gênero de poesia dos persas e dos árabes, estruturado em dísticos. Composto de quatorze versos ligados por rima, sendo que na 1ª estrofe as rimas se repetem e depois aparecem somente no 2º verso de cada dístico.
 ****
os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.