Pular para o conteúdo principal

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.               


NA DANÇA


Quando tu sorriste
o meu lado triste
se fez esperança
durante essa dança
ao som de uma valsa,
pois era tão falsa
a dor de um feitiço
e mesmo por isso
fiquei tão vaidosa!
Me deste uma rosa
suave, bonita,
com laços de fita.
E o mágico odor
invadiu nosso amor.

Deise Domingues Giannini - cepelista
********************************************


Baú Secreto


Há um baú em meu peito
onde o amor se faz leito
a cada momento preciso
que o abres com teu sorriso
E neste retiro perfeito
Teu ar torna-me refeito
Teu hálito cristalizo
Aspiro e me reavalizo
E, de ti, tal graça eu aceito
no colo em que me deito
nos versos que vocalizo
neste aconchego consiso
forjado sob o preceito
que em sedução e afeito
meu íntimo eu divanizo

ao brilho de tão belo riso

Vieira Vivo - cepelista
*******************************************

Envolvimento

Ficou trancada na lembrança,
Aquela nossa dança...
Sem música tocando,
Éramos apenas nós dançando!
Sem ritmo elegido,
Apenas sussurros ao pé do ouvido,
Você havia falado:
“Estamos indo para o lado errado.”
Mas eu não escutei.
Então, hoje revelei:
Que era tudo um desejo,
Mas ainda o vejo,
Dançar.

Thais Pereira
****************************
Deixando a moral de lado
dei um beijo bem safado
na boca daquela mulher.

Em deslumbre fiquei desnudo
ao ver  nela um desejo mudo
de estar comigo na cama
no mundo de só quem ama
e sabe fazer do sexo o que bem quer.

Manoel Tadeu Sampaio
******************************


Distância

Tens hoje um coração partido,
E pela vida muito tens vivido.
Amarguras de vidas já vividas,
De lágrimas nos olhos já contidas!

E por que procuras um novo amor?
Se já da vida sentistes tanta dor?

Hoje só do amor experimentas
Tristezas, ânsias e tormentas!

Que esperas da vida dia a dia?
Que a esperança se torne uma criança?
É o amor tudo o que querias...
Mas, há entre tu e ele uma distância!

E vais entre dores e desejos,
Esperando, dia a dia, aquele ensejo

De encerrar a tua vida com um beijo!

Thereza Ramalho Figueiredo - cepelista
**********************************************

Mundo cruel
todo cheio de fel
arranca a máscara
e mostra a cara
deixe de ser mudo
mundo cruel
pois nessa terra
só se dá bem
quem está com você
em lua de mel.

Tânia Soares _ Tequinha
*********************************


Versos da paixão
  
Versa poeta a saudade
versa com fé e verdade.
Jogue no verso a emoção
extraída do coração.
Fale muito de amor
em vez de versar a dor.
Verse com força e alento
busque no âmago o sentimento.
Não se omita poeta!
Sois das letras um atleta.
Deixe a modéstia de lado
versador apaixonado.
Cada verso uma mensagem
de ânimo força e coragem

endereçado ao coração.

Olímpio Coelho de Araújo - cepelista
********************************************
Indagação dos meus Olhos 

Meus olhos,
desnudos e sem maquiagem
mostram minh ‘alma e têm a tua,
como miragem...
Meus olhos,
sinceros e sem roupagens 
te olham e sem camuflagem,
te pedem passagem
Meus olhos,
confusos e selvagens,
se enchem de coragem
e te enviam uma mensagem:  
e tu, desnudar-te pra mim,
tens coragem?

Deise Torres

*******************************

Saudade

Saudade de minha terra,
Onde o azul que se encerra,
Faz bater meu coração
Por tanta... tanta... emoção.
Nessa emoção é que choro,
Que lembro a sair do poro,
Que a vida era muito boa,
Eu subia numa canoa,
Rio abaixo, rio acima
A pescar e namorar,
Só voltava ao sol poente,
Voltava muito contente,
Com uma fome danada,
Comia uma rabanada
e esperava o jantar.

Marly Barduco Palma - cepelista
***************************************

Numa mente, lúcida e perfeita,
num canto a loucura espreita.
Num descuido dessa mente,
ela ataca imponente!
A lucidez se apavora.
É empurrada pra fora.
A loucura então domina.
Nova luz a ilumina.
Nesse reinar absoluto
o corpo fica de luto
pois perdeu sua altivez
com a perda da lucidez.
Mas descobre, em seguida,
que a loucura só faz bem à sua vida

Ludimar Gomes Molina - cepelista
*******************************************
Eu quis ouvir estrelas

Quis conversar com uma estrela,
mas ela não me deu trela.
Disse o Bilac que há que haver espanto,
e a luz da via láctea aberta como um manto,
e a procuro e ainda que a ouça muda,
e me gritam todas: Caluda!!
Que falo eu com ela? Sei que tem  sentido
pois me disseram, sussurrando  ao ouvido,
que apenas os que amam,
podem entendê-las quando as chamam.


Isiara Caruso
********************************

NA DANÇA


Quando tu sorriste
o meu lado triste
se fez esperança
durante essa dança
ao som de uma valsa,
pois era tão falsa
a dor de um feitiço
e mesmo por isso
fiquei tão vaidosa!
Me deste uma rosa
suave, bonita,
com laços de fita.
E o mágico odor
invadiu nosso amor.

Deise Domingues Giannini - cepelista
*********************************************
AQUÁRIO
Meus peixinhos de aquário,
Nadando seu nado vário,
São atletas engordados,
Em espaço limitado,
Na água a flutuarem.
Logo antes de acordarem,
Um dia, joguei chouriço,
Ficaram bem mais roliços,
Adoráveis gorduchinhos,
Na redoma sem alinho.
Parecem bolas nadando,
Bolam, rebolam, bolhando.

Natan de Alencar
****************************


Devaneios
  

Mergulhar no espaço
E dele colher um pedaço,
Atingir remotas paragens,
Em loucas viagens...
Missão Possível!
Mergulhar no abismo do mar
Toda escuridão atravessar!
Desafiando mitos e lendas,
Penetrando grutas e fendas,
Missão Possível!
Invadir tua alma, 
Desvendar tantos segredos,
Aprisionar teus devaneios,
Apossar-se de teus sonhos,
Missão Impossível!


Clara Sznifer - cepelista
*********************************************
O verbo

Cantar, não sei.
Dançar, nem tentei.
Representar, certamente falharei.
Trabalhar, necessário, mas nunca gostei.

Sorrir, só por genuína alegria ou encanto.
Julgar, quem sou eu? Não chego a tanto.
Amar, sempre. Totalmente e com acalanto.
Viver, temporário. Aqui por enquanto passando portanto.

Ler, perceber e ouvir, isso me ensina.
Escrever, imaginar, minha feliz e grata sina.
Registrar, sempre que a inspiração ilumina.
Compartilhar, tudo que a mente domina.

Cuidar, da alma, dos amigos e dos sentimentos.
Orar, ao bom Deus, que nos livra dos sofrimentos.
Sonhar, tentar realizar. Se errar, não ficar de lamentos.
ANSIAR, nunca parar. É o verbo que nos define e cria avivamentos.

Cleberson Filadelfo Maria
*********************************************

Povo cansado                         

Povo cansado
Sempre enganado
Sonhos a plainar
Braços no ar
Vontades contidas
Pressões escondidas
Explode um povo
Nasce de novo

Exigem direitos
Cobram preceitos
Corrente encadeada
Força restaurada
Liberdade exigida
Cantiga mantida
Viva Brasil!
Pais tão gentil!

Valquiria Imperiano
*********************************************

Lago lúdico

Nesse teu sorriso belo
De tão simples e singelo
Descobri que eras único
No meio deste imenso lago lúdico
Onde os peixes se amam
E as algas se empenham
Em dar o colorido
Que é devido
Ao som d’uma cigarra
Que vibra como uma guitarra
E torna nosso amor, já entrelaçado
Na magia de um gosto desejado
Que se irá desvendar
Na noite intensa de luar

Ilda Pinto Almeida
*********************************************
Espetáculo Aéreo

Galhos entortam,
Enquanto cantam
À dança dos ventos.

David Henrique N. de Lima
*********************************************

UM SENHOR

De um banco de praça,
vê a vida que passa,
atado ao tempo
e aos lamentos,
sem, porém, recordar
que ainda pode sonhar...

Edweine Loureiro
*********************************************
ÓDIO À ORDEM
A ordem não me ordena
A ordem só me condena

A ordem não é minha onda
A ordem só me aprisiona

A ordem não me conduz
A ordem nem me seduz

A ordem não dá prazer
A ordem é só o dever

A ordem nem é tão prática
A ordem é só burocrática

A ordem não ama nunca
A ordem somente trunca

A ordem nem mesmo goza
A ordem não é nem prosa
Sergio da Silva Santos
*********************************************

Tudo o que tenho na vida
Foi pela labuta erguida
Conquistado com suor
E pitadas de amor
Trabalhei de sol a sol
Fiz cama, estendi lençol
Andei descalço e com frio
O corpo sentindo arrepio
Mas conquistei a vitória
Talvez por me chamar Glória
E tenha um viver com calma
Até me bateram palma
E baldes de elogios
Depois de meus desafios
Hoje, eu é que canto louvor

Maria da Glória Jesus de Oliveira
Porto Alegre-RS
*********************************************

NEVOEIRO

Dia nublado,
coração apertado,
alma tristonha,
vida enfadonha...
O tempo desanuvia
(falsa alegria)
quando se sonha...
e a gente sonha
com dia ensolarado,
o amante e amado,
a lua brilhante,
e o amado amante...

Suely Ribella © 


*********************************************
ROSA MARIA

Além de muito formosa,
Rosa era toda prosa.
Ao virar Rosa Maria,
Virou prosa e poesia.

Geraldo Trombin (vencedor do concurso: Trajes Poéticos)
*********************************************

Onde cantam as cotovias

- I

Mas que tédio são os dias
onde cantam as cotovias...
Não há drogas, não há vida:
nunca houve um suicida...

Pus os meus barcos no mar
mas não querem navegar.
Tenho moinhos de vento
mas eles giram tão lento...

Nas ruas, todas tão planas,
passam manhãs cotidianas.
Mas que tédio são os dias
onde cantam as cotovias...

André Foltran

********************************************

Quando a velhice chega

Junto com a velhice
Que um dia foi meninice
Vem à solidão
Muitas vezes precisa um abanão
Com ela uma vida nova
Nem que seja numa alcova
Quando for aposentado
Se a família aprova
Viverá sossegado
Como numa alcáçova.

Aurineide Alencar

Comentários

Paula vilela disse…
Ilda Pinto Almeida, gostei mto do seu poema!
E singelo mas intenso o amor que se le...

Parabens!
Anônimo disse…
UMA AGRADAVEL INICIATIVA PARABENS
Anônimo disse…
Ilda Pinto Almeida,gostei mto do seu poema!
E singelo mas intenso no amor que se le.

Parabens!
Liliana Almeida disse…
Ilda Pinto Almeida, gostei imenso do seu poema Lago Lúdico. Esta de parabéns!
Anônimo disse…
Que nevoeiro né, Suelly Ribella!!!


NEVOEIRO

Dia nublado,
coração apertado,
alma tristonha,
vida enfadonha...
O tempo desanuvia
(falsa alegria)
quando se sonha...
e a gente sonha
com dia ensolarado,
o amante e amado,
a lua brilhante,
e o amado amante...

Suely Ribella ©


Levando pra mim mandar pra meu elezinho.Si não pode ja peguei.
Ana
Anônimo disse…
Nevoeiro combinando com o domingo q tá fazendo hj.
Boa poesia! Nevoeiro.
Abçs
Mariana Oliveira
Anônimo disse…
bonita página, é pra votar?
Nevoeiro e espetáculo aéreo.
Bjks a todos
Silvana
sil_vn25@yahoo.com
Cris Dakinis disse…
Lindo, lindo! Parabéns , poetamigo Gera!!! :)
Cris Dakinis disse…
Tudo lindo, poemas adoráveis!
Agora, André Foltran, como sempre, ótimo. Adorei as cotovias :)

Postagens mais visitadas deste blog

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.