Pular para o conteúdo principal

ROBERTO ORTIZ - Exposição O ANDARILHO

Com abertura na terça-feira, dia 04 de novembro às 19h30, a Unisanta apresenta a mostra do artista Roberto Ortiz.

Ortiz é artista santista autodidata e explora os recursos de diferentes técnicas e materiais para expressar respostas às suas inquietações. 

Roberto esteve no Japão e foi durante sua permanência no país que se familiarizou com essa cultura milenar, da qual absorveu referências, as quais utiliza formal e conceitualmente nas obras. Intuitivo, a composição de seu repertório visual possui notadamente influência do desenho.

Ortiz me convidou para escrever o texto de sua exposição. E foi com muita honra que escrevi o seguinte texto: 

Uma das origens da palavra “arte” – mais especificamente aquela oriunda do inglês arcaico – está ligada à segunda pessoa do singular doverbo “ser”. “Thee art” (“tu és”) viraria “you are” (“você é”) nas andanças da língua inglesa através dos tempos, submetida dia a dia aos processos da fala, da escrita, ressignificando-se a cada uso.

Um artista é também um andarilho de seus processos, submetendo dia após dia as suas percepções sensíveis aos processos do labor, do estudo, da técnica. Caminha por vezes a passos lentos, por vezes a passos largos; em ritmo ou em rito, para em determinado ponto e analisa, absorve, observa, sente, medita, enlouquece, transpira... E continua o caminho interessado em caminhar, em ser, em interagir com outros seres para além dos limites do tempo, do espaço, de si mesmo.

É inevitável refletir sobre tudo isso quando se entra em contato com a Arte de Ortiz. No estudo das culturas passadas, ditas “primitivas”, Roberto depara-se com o concerto do erro e não se intimida – pelo contrário, apropria-se dele na busca pela melodia das formas, distorcidas, simplificadas... Amplificadas! A harmonia soa plena na noite da Intuição e traz à luz uma escrita visual rica em simbolismo e poesia.

Técnicas afinam-se em conversa mútua: materiais consagrados na arte passam pelo estudo do artista-aprendiz-artesão, saem de seu pedestal para um dueto com novos materiais, como o concreto celular; geram novas possibilidades técnicas, a fim de acordar com a contemporaneidade da linguagem da arte.

Assim podemos sentir a arte de Roberto Ortiz: uma força intuitiva que conversa com o nosso “eu” mais profundo, o âmago primitivo e indizível dos nossos sentidos em uma de suas possíveis materializações. Todo artista é um louco quando se lança ao caminho rumo ao desconhecido, em busca da linguagem do mundo. E todo artista é um mago quando, ao apreender uma porção dessa linguagem, manipula signos, códigos e sintaxes e nos encanta para além da compreensão.

O artista está continuamente fadado a percorrer os caminhos do Ser.


Ortiz utiliza-se de várias técnicas, tais como óleo, pastel, aquarela, gravura, etc.. Possui um currículo com diversas mostra, incluindo duas cidades do Japão: Gunma-Ken e Shizuoka-Ken.

A mostra abre dia 03/11 às 19h30 e permanece aberta ao público até 27/11, de segunda a sexta-feira das 19h às 21h30.

Serviço:

Onde: Galeria da Universidade Santa Cecília - UNISANTA
Rua Oswaldo Cruz, 277 - Bloco M
Santos/SP

Abertura: 04/11 - 19h

Contato do artista: ortiz.artis@yahoo.com



  • enviada por Madeleine Alves

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.