Pular para o conteúdo principal

ENTRE ALDRAVIAS - por João Alberto de Faria e Araújo


Comentário de Haide Rose Ulrich sobre a obra "Entre Aldravias":

"Que surpresa!!! Li agora, sem parar, ENTRE ALDRAVIAS. Continue nos brindando com mais obras, como esta, de puro encantamento. Confesso que na minha pequenez desconhecia as "aldravias". Foi feliz o comentário de Andreia Donadon Leal: "o máximo de poesia no mínimo de palavras". Sintetizou tudo. Permito colocar a minha modesta interpretação de aldravia: Economia de palavras que nos faz embarcar em fartura de imaginação. O seu objetivo foi alcançado. Muitas das relacionadas neste livro me tocaram muito. Cito só algumas: 09, 76 (vemos isto todos os dias), 78, 79, 80 (falou tudo)."




leia o prefácio e veja mais aldravias


outras obras: Outras obras - http://www.flipsnack.com/968B8AFEFB5/

Prefácio

A energia propulsora do poder da poesia está na simplicidade da alma, como bem diz o poeta na dedicatória deste livro.
Essa percepção não fica na retórica desse oferecimento, mas na lavra cuidadosamente simples de cada aldravia como célula-tronco, para ser capaz de se multiplicar na semiose, isto é, no momento da leitura, produzindo sentidos diversos e inusitados.
O poeta lança mão da metapoesia para demonstrar sua consciência disso, como a da aldravia 27: na / brevidade / da / aldravia / a / amplidão.
É essa amplidão de sentidos que explora a simplicidade da poesia de João Alberto de Faria e Araújo, nome caprichosamente cunhado na dimensão de uma aldravia; seja na reiteração, como a da aldravia 38: cascata / véu / noiva / véu / morte / véu, seja na essência da metonímia, na insinuação extremada, como a da aldravia 45: sob / denso / nevoeiro / ruídos / de / motor.
Além disso, a própria poesia se encarrega de apresentar o poeta, estudioso e esmerado, ator da contemporaneidade, como se vê na aldravia 65: da / aldrava / à / aldravia / poesia / rejuvenescida.
O conjunto de aldravias que compõe este livro é um cântico de louvor à poesia do tempo presente, uma confirmação de que a poesia está mais viva do que nunca e que ela é e permanecerá sendo grito de libertação, na forma do brado derradeiro do livro, a aldravia de encantamento, varinha de condão a ser tocada na nossa vontade de liberdade: libertem-se / palavras / quebrem / grilhões / tornem-se / poemas.
Poetas circularão Entre Aldravias doravante, agraciados que são pela poesia brotada dessa mina de simplicidade conhecida por alma. 
Euge, poeta!

  • Andreia Donadon Leal e J. B. Donadon-Leal
Mariana, 21 de novembro de 2014

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.