Pular para o conteúdo principal

TIO CALOGERO - Giovanni Campisi

enviado pelo poeta

poeminha trilingue 
(siciliano, italiano, português).





U ZU CALÒRIU

U zu calòrio
Avìa nu urticèddu
Arrèri a casa.

Ogni jòrnu
U zappàva
E ci mittèva
A rasciurèdda.

Chiantàva
Cipùddi,
Pumadòra,
Mulinciàni,
Pipirèdda,
Cucùzzeddi
E tanti àutri cosi.

U so urticèddu
Era u cchiù beddu
Du paìsi.

U zu Calòrio
Era davèru orgugliùsu
Du so urticèddu
E cu iddu
Ci dava a manciàri
A tutta a famigghìa.

N’jòrnu arrivàu
Na ruspa ranni
E cu quattru botti
Si purtàu l’urticèddu.

U zu Calòrio taliàva
E chiancìa
Comu ‘n carusèddu.

Iddu sapìa già
Ca so vita
Gn’era cchiù
A stissa.

U so cori
Si fici picciriddìcchiu
E i so occhi
Beddi e nìuri
Comu a pici
Divintànu tristi
Pi sempri.

© Giovanni Campisi
LO ZIO CALOGERO

Lo zio Calogero
Aveva un orticello
Dietro casa.

Ogni giorno
Lo zappava
E ci metteva
Lo sterco.


Piantava
Cipolle,
Pomodori,
Melanzane,
Peperoni,
Zucchine,
E tante altre cose.

Il suo orticello
Era il più bello
Del paese.

Lo zio Calogero
Era davvero orgoglioso
Del suo orticello
E con esso
Dava da mangiare
A tutta la famiglia.

Un giorno arrivò
Una grande ruspa
E con quattro colpi
Spazzò via l’orticello.

Lo zio Calogero guardava
E piangeva
Come un bambino.

Lui sapeva già
Che la sua vita
Non sarebbe stata
Più la stessa.

Il suo cuore
Si fece piccolo piccolo
E i suoi occhi
Belli e neri
Come la pece
Divennero tristi
Per sempre.

© Giovanni Campisi
TIO CALOGERO

O tio Calogero
Tinha um pequeno jardim
Atrás da casa.

Cada dia
O enchia
E colocava
O esterco.

Plantava
Cebolas,
Tomates,
Berinjela,
Pimentas,
Abobrinha,
E muitas outras coisas.

Seu pequeno jardim
Foi o mais bonito
Do país.

O tio Calogero
Era muito orgulhoso
De seu quintal
E com ele
Estava se alimentando
A família inteira.

Um dia ele veio
Um grande bulldozer
E com quatro tiros
Varreu a quintal.

O tio olhava Calogero
e chorava
Como uma criança.

Ele já sabia
Que a sua vida
Não seria a mesma
Ao longo do tempo

Seu coração
Se encolheu
E os olhos
Lindos e negros
Como breu
Ficaram tristes
Para sempre.

© Giovanni Campisi


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.