POESIA NA ÁRVORE - VIEIRA VIVO

poema de vieira vivo do livro objetos d'versos - ed. costelas felinas

teve o prazer e a honra de ser pendurado na árvore dentro do projeto Poesia na Praça por Mario Rezende no Rio de Janeiro


                           Abajur


Envolva-me em penumbras
que desenharei sobre as paredes
ideogramas de cetim
na pele da escuridão

Envolva-me em ínfima claridade
que refletirei labirintos
onde ecoarão uivos e risadas
em meio aos objetos


Envolva-me em cúmplice obscuridade
para que os desígnios do prazer
acomodem-se ao leito
sob minha cálida luminescência

E permita-me, ainda, qual um halo
de envolvência, flutuar a minha cor
sobre o repouso e o silêncio

Comentários