Pular para o conteúdo principal

UM MOÇO DO SUS EMANUEL MEDEIROS VIEIRA

UM MOÇO DO SUS
EMANUEL MEDEIROS VIEIRA

o há nada de napoleônico, de especial na estória real abaixo.
É absolutamente anônima. Deve ser a de muitos brasileiros.
Sim, é real.
O moço (não sei o seu nome) tinha 22 anos. Havia sido aprovado num concurso federal.
Morava em Salvador. Era de família humilde.
o sei muitos detalhes.
Descobriu um câncer no pâncreas em estágio avançado.
Era um moço vamos classificar assim do SUS.
estava hospitalizado. O câncer havia passado para outros órgãos.
Se é só isso por que me contas?, indaga um leitor imaginário.
Porque preciso.
Quem me relatou foi uma nora – enfermeira séria e competente, e que esteve com o moço do SUS.

Numa noite, ele pediu para sua mãe dar-lhe um abraço um longo abraço.
“Quero dormir um pouco, mãe, ele pediu.
A mãe deu-lhe o longo abraço.
Sentimentalizo o relato? Foi assim que me foi contado.
o vou tentar interpretar o significo deste abraço.
O “moço do SUS não acordou mais.
Repito: tinha só 22 anos.
É uma morte anônima, não midiática, não sai na TV nem nos jornais que só os mais chegados comentam. Quase ninguém tem conhecimento da referida morte.
Era um brasileiro que nem eu – que nem nós.
O que teria sido a vida futura deste moço?
O relato é este.
Lembrei-me do (grande) escritor Graham Greene (1904–1991), em O Americano Tranquilo (The Quiet American): (...) Não queríamos que nada nos lembrasse quão pouco contávamos quão rápida, simples e anonimamente chegava a morte. (...) Gostaria que a morte chegasse com a devida advertência, de modo que pudesse preparar-me. Para que preparar-me?
Eu não sabia para que nem como me preparar   a não ser que fosse para lançar um último olhar ao pouco que estaria deixando neste mundo. (...)


(Brasília, outubro de 2016) 
postagem enviada pelo autor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.