short cut/ long road (ou amor x pizza)

Convite para a abertura da exposição,  short cut / long road (ou amor x pizza) - elvis almeida e mariana moysés  - curadoria: pedro sánchez

quarta-feira, dia 10 de setembro, às 19h
Galeria 1 - Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

Rua Humaitá, 163 (entrada pela Visconde e Silva)
short cut/ long road (ou amor x pizza)


Transferência para a linha dois na Estação Estácio. Sábado à tarde. De lá para São Cristóvão onde espero o trem para Saracuruna na plataforma 6. O alto-falante anuncia que ele chegará em 16 minutos. Sorte. Avisto um ambulante  e vou atrás de uma cerveja. Só tem água e refri. Azar. Algumas pessoas me olham quando entro no vagão. Fones de ouvido, biscoito polvilho e cortadores de unhas negociados ali. São três ou quatro paradas até a estação de Ramos, onde passo pelo buraco do trem para o outro lado da pista. Algumas quadras e lá estou no atelier da Kovok onde Elvis e Mari me esperam. Antes de subir damos uma passada no Mundial e pegamos umas Teresópolis Rubine, uma Pringles que tava na promoção e um Matte.


short cut/ long road ou (amor x pizza) é meio que um apanhado de dois anos da versátil e afiada produção de Elvis Almeida e Mariana Moysés. Mariana mostra serigrafias; desenhos em papel e em variados tipos de objetos – pratinhos de louça e lenços; colagens; desenhos feitos para publicações; e intervenções que têm a própria galeria como suporte – tudo mesclado, como uma nuvem gráfica. Elvis exibe em blocos separados algumas das fotografias que ele vem tirando com suas câmeras da feira da Praça XV; provas de gravura; duas séries de desenhos feitas em cadernos desmembrados; os originais de uma história em quadrinhos que ele está lançando; além de pintura “propriamente dita” (rs). Juntos, apresentam também os oito números da revista Falafel, que editam em parceria.

A diversidade de objetos que vemos aqui e a não hierarquização entre eles demonstra de que maneira as diferentes atividades dos dois dividem espaço: convivendo lado a lado. Nesta pequena galeria, cada conjunto de trabalhos coloca-se como uma obra única, que nos defronta com a questão de onde começa e onde termina o trabalho de "arte séria", a tal, com A maiúsculo - que, embora fustigada, continua sendo aquela que o circuito oficial (críticos, editais e galerias top e o publicozinho especializado) espera. A resposta deles é dada com humor, poesia e força. Perdoem-me por traduzir desta forma, mas a resposta é justamente, “foda-se essa porra!”.  

Poliglotas culturais, Elvis e Mariana  circulam entre diferentes mundos artísticos, atravessando de um lado para o outro os limites entre high e low culture e argumentando que, como toda fronteira, esta também é uma ficção política artificialmente mantida.  

Pedro Sánchez

Comentários

Anônimo disse…
Muito obrigada pela divulgação!
:)))

Mariana Moysés