Dois poemas de Juarez Florintino Dias Filho

A lágrima mais triste 
É aquela que nasce no peito 
Parque Lage/RJ - foto claudia brino
E que morre na alma da gente
 
 
Juarez Florintino Dias Filho
**
 
Sentimentos não nos faltam
Por eles sofremos,
Com eles nos alegramos
E sem eles não haveria
intensidade em nossas vidas
Que eles nunca percam
a força em nossos corações
 
Juarez Florintino Dias Filho

poemas enviados pelo autor

Comentários