Pular para o conteúdo principal

MEDITAÇÕES - por EMANUEL MEDEIROS VIEIRA

MEDITAÇÕES
EMANUEL MEDEIROS VIEIRA

“A vida é uma ponte, não tente construir a sua casa sobre ela” (Buda)

Conseguiremos colocar nossa mente no espelho da eternidade, como pedia Santa Clara de Assis? É um tempo de tantas “verdades”. Serão verdades? Dogmatismos, fundamentalismos, xingamentos, maniqueísmos.
Já fiz essa pergunta: a internet acelera a comunicação, mas consegue aprofundá-la?
Fama, poder, glória. O que isso significa?
Estarei sendo claro?
Apesar de tantas possibilidades tecnológicas, há um sentimento socializado de “solidão”, de  afastamento entre os homens. E desesperança. Violência.
Mas estamos aqui. Ainda vivos. Estamos preparados para enfrentar “a terceira margem do rio?”

É o que o meu pai pedia aos seus filhos: “estejam sempre preparados”.
É possível? E acrescentava: “não subestimem a força do Mal”. E ele acreditava sinceramente na vitória do Bem. E todas as vezes em que subestimei tal força (do Mal), quebrei a cara.
Falta-me clareza. É preciso buscar uma fonte de águas limpas na linguagem e não estou conseguindo.
E acabo tecendo meditações meramente ordinárias, parecendo uma filosofia de botequim.
Será que – crendo que cumpro uma Missão – busco evangelizar (num sentido laico)?
“É o velho moralista escrevendo”, ri o promotor interno.
Quem sabe. Que Missão? Tudo já foi dito? E publicam-se livros e mais livros. Já existem mais escritores do que leitores?
A arte é um caminho de salvação?
Ela “não reproduz o que vemos. Ela nos faz ver”, dizia o pintor Paul Klee.
Acaba sobrando – como valor a ser alcançado diariamente- a autenticidade. Sempre. Só posso pedir que o outro creia em mim, se previamente eu acredite fundamente no que digo (e faço).
Meditações ordinárias...


(Brasília, agosto de 2016)
texto enviado pelo autor

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.