Pular para o conteúdo principal

POEMA de Bruno Lopes Curiel

Tudo o que ouço agora é tristeza
Em meu coração só há silêncio
Mera resposta do antigo prenúncio
Da vida que voltaria a ficar sem beleza

Lágrima desce à memória daquele sorriso
Saudade fere na lembrança daquele carinho
Mas eu sei, ela teve de seguir seu caminho
Só queria ter de volta o meu paraíso

A ausência é fantasmagórica
A espera incerta me angustia
Só me resta a vontade louca
De reviver as emoções que sentia



Minh’alma está em prantos
Iludida, aguarda o seu retornar
Esperançosa de voltar a amar
Destino fadado a tormentos

Oh, mas a dor é necessária
Lembrança maravilhosa
Da lua que me trazia simetria
E deixava meu coração em brasa


poema enviado por  Bruno Lopes Curiel

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.