Pular para o conteúdo principal

PÁTRIA AMARGA - Emanuel Medeiros Vieira / ilustração Cláudio Feldman

                                                    

                                                   (Prosa Poética Panfletária)
                                                
O amor que não dá certo está sempre por perto(Cacaso – 1944-1987)


Pátria: também amada
 meu bom Deus:
O Senhor perdeu o passaporte brasileiro?
não vou me queixar – tudo está secando ao nosso redor:  lágrimas,  esperanças, projetos
deveria falar de outro jeito?
Berço esplêndido”.
esplêndido?
 Colônia, Império às, repúblicas (Velha e Nova)
 assaltos  ao Poder,  golpe militar duradouro  – foi-se toda uma geração que sonhava e muito mais –  governos civis, Nova República,  constituintes que não se cumpriram
 trapaças, saques, traições,  consensos, jogadas na calada da noite
não  contamos – somos de pouca valia
carrego frases feitas, platitudes e lugares-comuns
Dos filhos deste solo és mãe gentil” – certa mãe deixou-nos órfãos?
a  gentileza não está nos rostos –  estresse diário, caudaloso rio de notícias vis
“Florão da América” – que deveria ser nosso
“Filhos teus não fogem à luta”
Bate-nos um fundo cansaço – como um raio
palavras,  partidos, gravatas, jeitinhos, cinismo, piratarias, patifarias e um deus eleito chamado  mercado
“seja mais otimista” – ordenam-me! “Ame-o ou deixei-o” (como gostaria...)
Terra adorada”/minha pátria amada/amarga, Brasil (Perdoem-me pelo panfleto.)


(Salvador, junho de 2017)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.