Sonho Ébrio - de Antônio Félix da Silva Neto

enviado pelo autor

Sonho Ébrio

Embriaguei-me com a última gota do vinho;
Atravessei a ponte em brasas
Que me ligue talvez ao inferno...
Você partiu... Deixou-me aqui sozinho;
Quebrou minhas asas de falcão!
Caminhei pelos cemitérios

E fui observando as histórias nas lápides;
Lendo apenas algumas linhas...
Foi aí que percebi a nossa proximidade...
Digo, estamos tão próximos da morte,
Mas, fingimos que não estamos perto dela.

Antônio Félix da Silva Neto
União, PI

Poesia publicada na revista literária LETRAS & ARTES, na edição de n. 04.

Comentários