Pular para o conteúdo principal

(De[u]s)amor - Nijair Araújo Pinto

enviado pelo autor


(De[u]s)amor

O amor não faz curvas.
Não permite olhares laterais.
Fecha-se ao perigo exterior.
O amor não agride.
Não quebra a mobília da casa.
Não xinga nem manda ir embora.


O desamor não é um flash!
Não surge da explosão da pólvora...
Enche como as pias onde nos banhamos,
devagarzinho.
O desamor não é acidente.
Ele é tragédia avisada,
enquanto sucessão de pequenos erros.

Para o amor existe o acaso.
Para o desamor, o ocaso.
Para o amor existe o mérito da conquista.
Para o desamor, buscam-se culpados.

Nijair Araújo Pinto

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.