Pular para o conteúdo principal

Por muito pouco - Nijair Araújo Pinto

enviado pelo autor

Por muito pouco

Meu amor é paciente.
Ele aceita recusas, esquivamente.
Ele aceita esperar.
Aceita quase tudo, quase.


Meu amor tem sofrido.
Ele foi jogado fora, friamente.
Ele foi enxotado muitas vezes, demais!
Suporta quase tudo, quase.

Meu amor foi posto à prova.
Ele foi alvejado, à queima-roupa, de repente.
Ele nunca preenche o ser colimado.
Resiste a quase tudo, quase.

Meu amor vive às portas do talvez.
Ele talvez tenha existido, ludicamente.
Ele talvez deixe saudade, apesar de sufocar.
Sucumbiu à beira-mar, faltando pouco.

Meu amor disse adeus.
Ele se revestiu de energia, loucamente.
Ele decidiu recusar também e disse não.
Desistiu antes da morte, quase lá.


Nijair Araújo Pinto

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.