Pular para o conteúdo principal

Vagueando - Nijair Araújo Pinto

enviado pelo autor


Vagueando

Só quero e busco, claro, ó Deus, é tenra paz.
Ter sede, sendo a sede única deste amor;
e dar de tudo sempre e sempre... Sempre amor!
Vendo a vida, tão linda, a me dar só o que apraz.


Desejo a luz da cruz e sou pó – santo mundo.
Doar sem medo e pejo – ousar e desnudar-me;
Ver-te e verter o pranto – amor sutil, fecundo:
o crível, terno e amor constante do desarme.

Credo! Creio, mas temo estar deveras frágil...
Se dó eu sinto, velo; e, penitente ao Sul,
no descaminho ébrio, eu findo ao polo Norte.

Sou vida, quero a paz repleta de amor, sorte;
e fujo da frieza insípida do azul,
enquanto sobrevivo aqui, findando o estágio.

Nijair Araújo Pinto

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.