Pular para o conteúdo principal

NASCE ** EMANUEL MEDEIROS VIEIRA

foto: cláudia brino
                        (...) Espero um mínimo de lucidez/na dança dos meus ventos invernais,/embora isso pareça-me improvável,/por falta de navio, âncora ou cais
                        (Geraldo Carneiro)


A literatura nasce de um estrondo? De um ruído? De um gemido?
Nasce de uma esperança contra o Tempo?
A vida só não basta – muitos já disseram.
Nasce de nossa “pressa” contra a “Indesejada”? Um pé de goiaba no quintal, vento sul, mar, calças curtas, trapiche. Elixir Paregórico, Pomada Minâncora, goma arábica, a venda do Quidoca, groselha, pitangas, cigarro sem filtro, máquina Singer, fogão de lenha, procissões, o relógio de algibeira do meu pai – chapéu, terno preto –, Missa do Galo, , álbum de fotografias, “algodão doce” – e até o fim da estrada teria muito do que lembrar.
É preciso sorrir ao pé das fogueiras acesas.
Tainhas em maio, faróis de todos os lcantos da Ilha,  “barba de velho” para fazer o presépio natalino, ilha mítica/minha/nossa carne levada aos ventos.,
Alvíssaras, meu capitão: Terra à vista!
“Minha vida daria um livro” – alguém exclama. Eu penso: todas as vidas dariam um livro.
Minha sagrada reivindicação no mundo dessacralizado: AMOR PARA TODOS. Pão e amor para todos: tal apelo é um legado? Esperança? Reivindicação. Amor? Sim. Amor. Como o pão nosso de cada dia.
“Eu era feliz? Não sei, fui-o outrora agora” – nesse final (em verdade, os textos nunca terminam: o “fim” é uma breve pausa...), “preciso” lembrar o mestre luso e eterno – Fernando Pessoa.

(Salvador, julho de 2017)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.