AFETO EMANUEL MEDEIROS VIEIRA

     “Se não for pela poesia, como crer na eternidade?”
 (Alphonsus de Guimaraens Filho)
                                                           
 Sobra este afeto
(a muralha que me resta).
                 
Sim, é este patrimônio que me cabe-
sem valor contábil,
o que amo,
contra o ruído, o mal e a bofetada.
                           
Tribo perdida,
só queremos saber de nós mesmos.
                                                           
Minha verdadeira cidadela é o território dos afetos.
transformado estou: no guerreiro que não me 
imaginava mais, exaurido: ainda assim combatente.
                                                     
Restaurado o menino que viu a regata:
é esta matéria mnemônica que tento re-fundar  aqui,
papel em branco, nova manhã.

O latim do colégio ensinava que “recordar” vem de:
recordis”:
tornar a passar pelo coração.
(A poesia perpetuará esta fugaz manhã, despistando a
  morte?),
   vem, menino, sossega o coração na manhã azul,
      me legitima na palavra escrita,
   eterniza  o  poema para os que vierem depois:
  é minha oferenda (o sentido desta peregrinação).
                                                                                





Comentários

artesanal livros disse…
COMENTÁRIO DEIXADO NO FACE POR VERA TEZZA

É lindo! emociona-me. Imagina, só nesta semana duas amigas perderam um sobrinho, e outra o irmão. :(
- Será que eu entendi bem a msg. Cláudia Brino? gostaria tanto de confortá-las... seria este o poema?!

Parabéns, EMANUEL MEDEIROS VIEIRA! Sempre e muito grata pela tua sensibilidade. És sol! luz no caminho...
Cris Dakinis disse…
Caro amigo Emanuel, como eu citei no comentário anterior, deixo aqui o link para o soneto que te fiz em 03 de julho, e depois publiquei lá no meu blog mesmo. Em resposta a este poema muito belo, tenho a dizer: és e serás sempre um "menino", aliás já foi dito que recordar é viver. Use suas lembranças felizes e continue compartilhando-as conosco. Grande abraço Fraterno!
o link para o soneto ao amigo Emanuel: http://www.crisdakinis.com/2017/07/soneto-ao-amigo-emanuel-medeiros.html
artesanal livros disse…
RESPOSTA ENVIADA POR E-MAIL PARA VERA TEZZA

Obrigadíssimo, querida Vera Tezza
Muito afeto para ti,
Gratidão do Emanuel e família