Ainda Não de Cida Micossi / foto: Marcelo Luiz de Freitas

 enviado pelos autores



Ainda Não


Tratas-me como um objeto
Julgas que podes me usar
Mas eu me guardo, pois sei, é certo
Em meus braços irás repousar.
 
E assim seguimos dois desencontrados.
Um pelo outro de amor morrendo,
Mas quando pedes que eu siga ao teu lado
Eu te respondo: “Não estou podendo.”

A vida segue... o tempo se esvai.
Grande o desejo, maior a teimosia
E ao seu convite que me tira a paz,

Te provoco: “Ainda não! Não é chegado o dia.” 

Comentários