Pular para o conteúdo principal

Cristina - por Roberto Prado


enviado pelo autor


Cristina
  
Saiu do banheiro em direção à cozinha. Preocupado, tremia e suava a camisa já estava empapada. Acendeu a luz e dirigiu-se ao armário. Olhou para dentro, tirou as latas de ervilhas, de milho verde, palmito, sardinha... Esvaziou o armário todo. Todas as latarias largadas e espalhadas pelo chão. Algumas ainda estavam rolando de um lado para o outro.

- Que diabo, onde ela foi se enfiar?

Foi à sala. Levantou os tapetes, empurrou os sofás, quase deslocou o ombro direito tentando empurrar a estante para outro lugar. Dolorido, resolveu retirar os livros, um a um, para poder procurar com mais cuidado. Nada encontra. Volta a sua frustração a TV, com um exemplar de a Divina Comédia (capa amarela, livro antigo comprado há muito tempo) joga contra o tubo de imagem, provocando grande barulho e sujeira com os estilhaços do vidro.

Os vizinhos debaixo preocupados com o barulho imaginaram:

- Estão de mudança!


No chão uma pilha de livros. De todos os tamanhos e cores. Ele estava no momento em sua “fase” azul[1]. Nada.

Vai ao quarto, levanta a cama de casal e a encosta na parede. Abre o guarda-roupa, retira de lá todas as peças, e as espalha. Camisas, cuecas, calças, paletós, tudo espalhado pelo quarto.

- Com essa bagunça vai ficar mais difícil achar alguma coisa.

Volta à cozinha. Abre as gavetas de talheres, joga tudo para o alto. Facas, garfos, colheres tudo voando como num furacão. As panelas seguem o mesmo destino, espalhados pelo chão. Volta à sala. Começa a arrancar as cortinas, pelos trilhos.
Mais barulho. Olhando para dentro do apartamento teríamos a impressão que ali houvera um incêndio, ou qualquer outro tipo de desastre.

Arrancando os cabelos do peito (haja vista que já era calvo), ele volta para no centro da sala e começa a olhar para os lados. Tentando imaginar um canto qualquer que ainda não tivesse sido revistado. Dando um tapa da cabeça ele volta para o banheiro. Com uma força sobre humana ele arranca o vazo sanitário. Chacoalha o vazo. Olha para dentro dele. E por fim arrebenta-o jogando contra a parede ladrilhada.

Embaixo os vizinhos começam a se preocupar.

Os ladrilhos começam a cair, a princípio um a um. Logo uma chuva de ladrilhos inunda o chão do banheiro deixando as paredes em petição de miséria.

Então no meio do entulho surge uma barata cascuda, suja, imunda e repugnante. Vendo isso ele grita:

- Cristina, onde você se enfiou dessa vez???

Abrigando-a carinhosamente em suas mãos, ele a banha com suas lágrimas

- Cristina, Cristina, Cristina...

[1] No mínimo aprendeu isso com o Vadinho!

Comentários

Alexandre Costa disse…
Conto muito bem articulado...

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.