Pular para o conteúdo principal

poema IDEALISTA por Roberto Prado / foto: Marcelo Luiz de Freitas

enviado pelos autores

IDEALISTA

Pobre homem
Cheio de amor e fé
Pela humanidade.
Padece
Planeja e sonha
Transformar lágrimas em risos
Doenças em saúde
Findar com a miséria
Criar, enfim, um mundo ideal
Te aviso pobre idealista:

- Nessa máquina as engrenagens são quadradas!
Pois saibas
Na verdade serás
Mastigado
Cuspido
E esquecido
A ti nem estátua
Nem placa de rua
Nome de manicômio
Serás pó
Esquecido
Ou pior
Serás modelo de mau-exemplo!


Roberto Prado Barbosa Junior  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.