Pular para o conteúdo principal

Figura de Linguagem: EPIZEUXE - poema de Clara Sznifer

Figura de Linguagem:  EPIZEUXE

Um oásis, se destaca  no meio da secura,
Árvores majestosas, abrigo de  pássaros
Ideal para o alimento e a procriação.

São as veredas do nosso sertão!
Ó buriti! ó buriti! ó buriti!  ó buriti!

 Todo ele se doa para o nosso sertão!
Sublime! Sublime! Sublime! Sublime!
 
Os indígenas assim nomearam
A rainha das veredas, a árvore da vida.
Como o sertanejo que lá nasce,
Sobrevive ao torrão inóspito
Não se verga, nem se abate.

 poema de Clara Sznifer


Figura de Linguagem: EPIZEUXE
figura de linguagem que resulta na repetição da mesma palavra, sem intervalo, no mesmo verso
Projeto Trajes Poéticos (Clube de Poetas do Litoral) - por Cláudia Brino

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.