Pular para o conteúdo principal

PLANGEU UM APITO NA TARDE - por Moysés Amaro Dalva

Moysés Amaro Dalva
PLANGEU UM APITO NA TARDE


Denuncio o evangelho que não serve para o mundo;
que não tem poder profundo, pra multiplicar o pão...                                            M.A.

Costelas Felinas

lançamento 2016

MOYSÉS AMARO DALVA E
SUA POESIA MÍSTICA,
TROVEJANTE, REVOLUCIONÁRIA
                                       (*) Aristides Theodoro

            Não é de hoje conheço este Moysés Amaro Dalva, com quem comungávamos os mesmos ideais, adorávamos o mesmo Deus, partilhávamos o mesmo pão, bebíamos a mesma água, seguíamos as mesmas pseudo verdades, líamos os mesmos livros, declamá-vamos os mesmos poemas, gostávamos dos mesmos filósofos, etc... Foi nesta mesma época que criamos uma agremiação literária, Colégio Brasileiro de Poetas, pela qual pretendíamos pautar as nossas vidas, conduzindo adeptos para a trilha das nossas idéias. Isso, nos anos sombrios da ditadura de 1964. Foi aí, que juntamente com oito rapazes e moças, criamos esta agremiação C.B.P, gestada e batizada por Moysés Amaro Dalva. Através da mesma, passamos a disseminar os nossos sonhos, a ler e mostrar nossos primeiros pecados literários e a nos reunir no Bar do Yugo, no centro de Mauá onde nos afeiçoamos cada vez mais às letras. Uns mais, outros menos. O próprio Moysés foi um dos que logo abandonaram o grupo recem formado, assim que o mesmo passou a enfrentar as suas primeiras desavenças, fazendo assim, emergir as figuras de Castelo Hanssen, Antenor Ferreira Lima, Iracema M. Régis e este que vos fala.

            Moysés abandou o grupo e os amigos, cheio de mágoas, ressentimentos, porém não deixou de versejar, não mais com a frequência que escrevia antes, porém com a mesma qualidade dos velhos tempos, e isto é o que vamos constatar através deste seu primeiro livro: “Plangeu um apito na tarde”, contendo uma seleção dos seus melhores momentos poéticos portanto, uma coletânea, talvez das melhores que já se editara por um poeta do nosso A.B.C paulista.
            Moysés, que bebeu muito em Victor Hugo, Castro Alves, Álvares de Azevedo e até em nosso Gióia Júnior e tantos  outros grandes de sua admiração, longe, bem longe está de ser um pasticheiro, um imitador barato. A sua poesia é uma poesia grandiloquente, que impressiona o leitor, logo que esse sorva os seus primeiros versos desconcertantes, ardentes, cheios de metáforas, ora pejados de humanismo, compaixão pelos desvalidos da raça humana, os injustiçados por Deus e pelo diabo. Uma poesia ás vezes carregada de misticismo a Gibran Khalil  Gibran. Em síntese, uma poesia como quase não se vê em nossos dias, a não ser nos versos de outro poeta mauaense, seu contemporâneo, e colega do C.B.P, Castelo Hanssem, com quem muito se assemelha, isto apenas no tocante á temática. Diferença, fora isso, gritante, quanto ao estilo, a forma e a maneira de dizer as coisas. Castelo é dócil como “as águas dos correguinhos”, tão cantadas e decantadas por ele. Já o Moysés é um espinhento, declivoso, provocativo, temperamental, com uma linguagem mais refinada, que a do autor de “Canção pro sol voltar”, que no tocante a linguagem se assemelha a um caminhoneiro das estradas, com sua prosódia cheira de barbarismos (propositadamente) – coisas como “mais maior que o mar”, etc...Moysés, por ter bebido nos clássicos é um tanto refinado, ás vezes, puritano. Sua poesia é mística, trovejante, revolucionária, sem pedir licença a seu ninguém, são poemas que fazem pensar.
            Moysés, a exemplo de Graciano Ramos, Mario Palmério, publica o seu primeiro livro já maduro, o que lhe proporcionou polir os seus versos ao extremo, sem passar pelo vexame que passaram Dalton Trevisan, Vinicius de Moraes, que tiveram de percorrer os caga-sebos da vida, procurando os seus pecadilhos literários da juventude, a fim de destruí-los, antes que fosse tarde em demasia.
            Caríssimo provável leitor: - Você que teve a paciência de ler-me até aqui, por favor, adquira este “Plangeu um apito na tarde”, leia-o e depois diga-me se não estou falando a pura verdade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.