Pular para o conteúdo principal

Trajes Poéticos - DEPRECAÇÃO


espécie de figura em que se manifesta um desejo, mas, ao contrário do que sucede na OPTAÇÃO, aqui há o pedido expresso para uma pessoa ou entidade.
 
Veja os poemas



Liberdade



Liberdade! Eu quero dos mundos insanos

quebrar as algemas dos preconceitos

Achar meu caminho, sem ter desenganos

Sentir a aurora dos ventos afoitos

Liberdade! Eu quero livremente,

voar em aeroplanos,

sublimar no espaço com os anjos marotos.

Elevar meu espírito, deixar o mundano.

Eu quero a liberdade dos pensamentos.

 

Edite Capelo - cepelista

******************************************************



Onda frenética, que no mar  balança,
e que estremece todo  o meu ser,
enche agora minha alma de esperança
ou então, nas suas espumas deixe-me morrer.



Ludimar Gomes Molina - cepelista

******************************************************



Saudade,

não chegue assim de repente,

porque o coração da gente

não aguenta esse sofrer.

Deixe de ser atrevida,

eu estou desprevenida,

não invada o meu viver.



Deise Domingues Giannini - cepelista

(trecho do poema "Diálogo com a Saudade")

******************************************************



Tu que na minha vida entrastes...

Descubras-me! Tire o véu

que minh’alma encobre...

Aprecies o mistério do meu ser

e deixa minha nudez à mostra...

Tires de mim, tudo que precisas...

Deixa-me vazia para que possas

te fartar e perpetuar

com plenitude tua vida!

 

Thereza Ramalho Figueiredo - cepelista

******************************************************



Vida que pulsa em mim!

Não permita que a chama logo se apague

Há longo caminho a percorrer;

Não permita que a criança em mim esmoreça

E que esta viveza, persista!



Clara Sznifer - cepelista

******************************************************


Oh, deuses do Olimpo

Eu vos peço:

Acalmai meu coração

Que sofre de amor, confesso,

Que dia a dia vê finar

A pouca esperança havida.



Então, poderosos deuses,

Dai a mim serenidade;

Não permitais que a saudade

Faça morada em meu ser.



Assim, providenciai minha vida

Que eu sinto estar preparada

Para enfrentar a partida.



Cida Micossi - cepelista

******************************************************


Eu rogo a ti, ventre gigante da galáxia,

crie novas esferas germinantes.



sangue negro é a ti que imploro

deixe-me expandir minhas raízes

para além da terra.



Moacir Santos

******************************************************



Oro pelo  meu desejo



Peço-te oh anjo Gabriel

a formosura

do primeiro beijo de amor



Peço-te oh divina ave

a textura

da outra pele nua.



Peço-te oh homem

funda-me

em tua carne.



Adriana Penha

******************************************************


Centelha Insana



Flamejante língua de fogo,

traga do passado um fervedouro

onde o fulgor de todo magma

mantenha inalterada a ardência das chamas



Útero de luzerna,

imponha teu crepitar contínuo

sobre os abismos das noites

em meio à sua intensa combustão eterna



Berçário incandescente,

depure em abravisa fervura

uma abóbada de fogo

no âmago

de toda matéria.



Vieira Vivo - cepelista

******************************************************



REALIZE TEUS SONHOS



Ensina-me fazer Tua vontade

quero mais e mais Te seguir

Jogar fora todos os meus sonhos

Viver os sonhos que Tens pra mim



Não quero lembrar o passado

Com mágoa ou desilusão

Olhar meus inimigos face a face

Com Teu amor e perdão



Não deixe que eu me perca

Nas labutas do dia a dia

Que encontre cada vez mais

Prazer em Tua doce companhia



Que nada mude o prazer que tenho

De querer-Te mais e mais assim

Ensina-me a viver sempre buscando

O realizar de Teus sonhos em mim.



Kedma O’liver - cepelista


Comentários

VIDA VS MORTE

Morte!
Quem saberá dizer qual será a tua sorte?
Esqueceste que és movida pela tua consorte?
A Vida! Aquela menina esquecida, mas sempre forte?

Espere mais um pouco:-Peça permissão a alguém que se importe,
Mas, não leve esta menina abençoada, porém sem norte!
Deus ainda a carrega em seus braços: -Comporte-se!
E, assim, seguirão pelo mundo sem ninguém que as derrote.

Por isso, Vida e Morte: -Confortem-se!
Não briguem! Apenas esperem quem as suporte.
Aí sim! Agarrem-se de vez, e a galope!
Bate na madeira: -É trote!

Márcia Brabo

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.