Pular para o conteúdo principal

Palavra - poema Cláudia Brino



ideia vazia - cláudia brino
(sem título)

Palavra…
Luz ingrata!
Admitais ao menos
uma vez
que pela gramática
fostes domesticada.
 
Palavra…
tremor da fala,
pensamento febril
da boca que cala.
 
Palavra…
inventário da galáxia,
dormiteis no feto
de uma rima rara.
 
Palavra…
Limbo cotidiano,
vossa proeza é deixar pó,
como objeto, na língua
daquele que vos fala.

(do livro Palavra)

Comentários

Anne Lieri disse…
Lindo seu poema,Claudia! Palavra tem força!bjs e boa semana!
edweinels disse…
Maravilhoso, Claudia. Um trabalho primoroso com aquela que pode levar-nos ao Inferno ou ao Paraiso: a Palavra. Parabens.
Anônimo disse…
Palavra
lavra de fogo!

A gente sai chamuscada...

Parabéns, querida amiga!

Regina Alonso
Anônimo disse…
Cláudia:

Muito bom o poema "Palavra", começando bem a minha segunda-feira. Obrigada e bjs.

Eunice Tomé
Anônimo disse…
Palavra lida,relida
nem sempre entendida
por poucos compreendida...
sem ela não há vida.

Kedma O'liver


amei teus versos Claudia

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.