Pular para o conteúdo principal

Trajes Poéticos - EPANÁSTROFE

resulta quando se repete um verso ou frase com as palavras inversas.


veja os poemas

poemas dos cepelistas


AMOR E SAUDADE


Fico de ti tão distante,
Tão distante fico de ti;
penso em ti a todo instante;
não fiques longe daqui.

Essa saudade que mata,
que mata o meu coração
eu canto na serenata.

És voz de minha canção,
de minha canção és a voz
que afasta essa solidão.

Tu és a minha alegria,
vivo pra ti noite e dia.

Não quero que tu me esqueças,
que tu me esqueças não quero.
Quero que tu apareças
trazendo um amor sincero.

Deise Domingues Giannini
***********************************************

O tempo e a vida

A vida se movimenta
para buscar convergência
Sendo que o que nos alenta
é o fruto da convivência

Para isto o tempo age!
Age o tempo para isto!
Sendo o nosso aliado

Para isto a vida aflora!
Aflora a vida para isto!
Sendo nossa aliada

Fruto apetitoso pleno de sumo e sementes
Torna-se deleitoso aos corações e às mentes

O fruto da convivência se faz na exata medida
da conversão de dois pólos:
O tempo aliado à vida.

 Vieira Vivo
*******************************************

Minha cadeira de balanço
  
Minha cadeira balança                 
balança cadeira minha
seu vai e vem me descansa
no colo de minha rainha.

Pelo caminho vou seguindo
vou seguindo pelo caminho
remoendo a tristeza cantarolando baixinho.

As carrancas do velho Chico
do velho Chico as carrancas
nas águas as bruxas espantam.

Canta e chora o cantador
o cantador chora e canta.

O vento soprando do norte
do norte soprando o vento

o sopro traz sorte e alento.

Olímpio C. de Araújo
************************************

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.