Pular para o conteúdo principal

Trajes Poéticos - Rima Coroada

Rimas que se fazem no interior do verso

Ex: Bruma que se avoluma no peito

Veja os poemas


poemas dos cepelistas




Saudade

 Amor, amor, que sempre revigora,
me desespero e quero que voltes para mim,
ânsia de infância que recordo agora,
saudade invade os caminhos enfim.

Marly Barduco Palma
*******************************

 Amor

Amo e proclamo a dádiva
de fluir um sentir infinito
O coração tão saciado
ao sabor do amor contrito

Vieira Vivo
*******************************
  
Amar é doar

O verdadeiro amor é indolor é prazer querer
Amar é doar muito mais que querer receber
Estando amando vê-se o mundo colorido definido.
Ausência de amor pavor um elo perdido indefinido.

Olímpio Coelho de Araújo

***************************************

Bruma que se avoluma no peito.
Nas entranhas, estranhas sensações
Quando a dor o amor suplanta
Só a prece, aquece o ser.

Clara Sznifer
*******************


Espera
  
Qual fera à espera de alguém
Alerta, desperta esse ardor,
No peito, feito de sonhos


Juro, o futuro é de amor.

Deise Domingues Giannini
********************


Sua trança, saudosa lembrança.
Seu carinho, um ninho sedutor.
De nossa felicidade, quanta saudade!

Nossa história, uma memória de amor.

Ludimar Gomes Molina

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

sarau poético "A poesia no Folclore"

A Academia Vicentina de Letras, Artes e Ofícios tem a satisfação de convidar você para o sarau poético na Casa do Barão, sábado próximo, dia 05 de agosto, às 15 horas. O tema será "A poesia no Folclore". Venha. Sua presença é muito importante. E após o sarau você poderá  conhecer o Café do Barão para se deliciar com um cafezinho gostoso.  Rua Frei Gaspar, 280.
indicação Deise Domingues Giannini