Pular para o conteúdo principal

INSTANTE - de Emanuel Medeiros Vieira

INSTANTE
Para três queridas irmãs (Lourdes, Adélia e Gracinha), encantadas em tão curto espaço de tempo.

“Qualquer destino, por mais longo e complicado que seja, consiste em um único instante: o momento em que o homem sabe para sempre quem é”
(Jorge Luis Borges)
foto cláudia brino
foto cláudia brino


O instante: outrora–agora.
Imanência do passado no presente: um presépio, pai, trapiche, mar, mãe, pedaço de pão feito em casa, outro menino/velho enrugado.
O homem saberá para sempre quem é.
Quando (insisto)?
Foi ontem.
Ainda não aconteceu?

Ou já estava escrito na maternidade – ou antes: na barriga da mãe.
No grupo escolar, naquele beijo tão longínquo.
A memória de uma passeata em que o mundo seria mudado.
Uma enfermidade: ali ficou enraizada – tão bem colada na pele – a certeza da transitoriedade.
Apenas passamos: breve sopro.
Mas testemunho: houve uma celebração – olhando aquele bar que já não existe mais (o “Miramar”. E nesta manhã (que pensei que não iria viver), contemplo o Farol da Barra.
Tudo foi aterrado – resta um pedaço de memória.
(Ela não é velharia inútil: pedaços de carne, olhos que sonharam com terras distantes, pés que pisaram neste quarto, bigodes, rostos, uma máquina de escrever,  álbuns de fotografias que revisitamos em tardes chuvosas, e um guarda-chuva ao lado do guarda-roupa. E tanto mais.)
Outra memória: aquela fuga na boca da noite, o exílio.
E continuo (até quando?).
Já sei quem sou/já não sei.
Soube sempre: outrora/agora.


(Salvador, maio de 2015)
Emanuel Medeiros Vieira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.