OS GIRASSÓIS VOLTARAM A SORRIR - por Adriana Pavani

E os girassóis voltaram a sorrir...

Quantas vezes, no curso dos dias, giramos tão em torno de nós mesmos que não reparamos no que há à nossa volta? Quantas e quantas flores desabrocham e cumprem seu ciclo sem que sequer olhemos para elas?
Foi assim que certo dia reparei num pequeno campo de girassóis, plantado em um terreno localizado em uma das ruas pelas quais passo todos os dias.   Corria,  como sempre, o  meu trajeto já batido pela rotina diária, mas naquele dia, tudo foi diferente. Não tive como não reparar aquela luz vinda do amarelo intenso dos girassóis e daquele movimento delicado em torno de si buscando a luz do sol...  Mas não era um movimento isolado. Todos faziam seu bailado sincronizados e em conjunto.  E a flor do girassol, tão linda  parecia sorrir, convidando para seu delicado bailado, fazendo-nos repensar as belezas da vida e afinal, por quê e para onde corremos tanto?

O tempo  parecia ter parado. O girassol parecia sorrir. A  visão daquele momento pareceu eterna,  mas não durou mais que alguns minutos. Mas foi o suficiente para que despertasse o  “insight” tão conhecido por quem escreve. Não houve como resistir  àquele momento de inspiração que chega de uma vez e transborda para o papel, traduzindo todo o sentimento represado, se mol-dando em prosa ou poesia. E assim nasceu a poesia “O girassóis voltaram a sorrir” e o que se sucedeu depois foi consequência.  O sorriso dos girassóis possibilitou a reunião de outros textos, também frutos de reflexões que nos


tomam em situações inusitadas como essa que ocorreu com a pequena plantação de girassóis.
Pode parecer estranho, mas os girassóis sorriem. Sim, eles sorriem  cada vez que desabrocham e se voltam à luz do dia. E ao se voltar à luz do dia eles transmitem e transmudam em  poesia. Assim é a vida. Assim é o viver. E, se agirmos tal e qual os girassóis, veremos que a vida possui muito mais beleza e poesia do que se imagina. Veremos, que somos capazes de buscar a luz e emitir nossa luz própria. Veremos que, acima de qualquer situação que estejamos passando, não somos tão destituídos de alegria que não possamos sorrir, ainda que seja um sorriso de leve.

Os girassóis voltaram a sorrir e nos convidam a sorrir para a vida.  Basta aceitarmos o convite e seguir.  - por Adriana Pavani

ed. Costelas Felinas - livros e revistas artesanais

Comentários