ABECEDÁRIO (estilo poético) - poema de Deise Domingues Giannini

Estilo Poético: ABECEDÁRIO


POEMA DE "A"  A "Z"

Ziguezagueando na estrofe indiferente,
Yuri pescava suas rimas perdidas.
Xereta, vasculhava em sua mente.
Wania o ajudava, aborrecida:
Vinha e voltava na sala, penitente.
Última cartada para a poesia bandida;
Tinha uma vaga ideia somente.
Sem rima, seria indefinida
Repleta de bobagens, indiferente,
Quase tão pobre e sem vida.
Poderia ser poesia mais prudente
Ou se pudesse, que fosse na medida,
No calor do momento, imponente.
Mas não. Era somente tão comprida!
Longe de ser tão sacudida.
Kilométrica, de versos plangentes?
Jamais ! Queria uma coisa mais garrida,
Invulgar e até transcendente.
Haveria nisso uma ansiedade atrevida?
Gente! Era uma poesia, somente
Feita com ânsia de vida!
Então, saíram versos assim, tão de repente
Dentro da justíssima medida.
Chegou Yuri ao poema diferente!
Bastava! Era simples só falar de margarida,
A flor mais bela e mais sorridente !

poema de Deise Domingues Giannini

Estilo Poético: ABECEDÁRIO
composição poética artificiosa cujo mérito reside em ter cada verso iniciado com uma das letras do alfabeto, na sua ordem natural (lembrando assim uma espécie de acróstico), neste caso o alfabeto começa de trás para frente.
Projeto Trajes Poéticos (Clube de Poetas do Litoral) - por Cláudia Brino

Comentários