Pular para o conteúdo principal

O COLISEU NATIVO Por : Valmir Fonseca Azevedo Pereira

enviado pelo jornal Grito Cidadão


Por : Valmir Fonseca Azevedo Pereira

Na antiguíssima Roma, os tiranos da época utilizavam - se do Coliseu e outras arenas para embromar a galera popular com os espetáculos circenses.
Enriquecendo a pantomima, distribuíam pães para a massa, que de barriga cheia e imensos sorrisos de satisfação assistia aos gladiadores se matando, as feras trucidando os miseráveis e as execuções de larápios e assassinos.
E, assim, durante centenas de anos, viveram felizes os tiranos e os seus submissos súditos.

Hoje, numa inversão espetacular, parece que na arena, lá em baixo, ao invés de gladiadores, de leões, de tigres e outras feras, uma malta de politiqueiros por fúteis querelas estão cuspindo uns nos outros.
A refrega é sem sangue.
O público assistente diverte - se ouvindo cabeludos palavrões e nojentos gestos obscenos, que cada bando usa para ofender aos seus desafetos.
As acusações são pesadas, desde o “ você roubou mais do que eu ...”, “ deu mais pedaladas fiscais...”, até o “a sua mãe é ...”... http://www.abdic.org.br/index.php/885-o-coliseu-nativo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.