Vírgula - por Roberto de Queiroz*

Vírgula
 
Roberto de Queiroz*
 
vírgula é um sinal gráfico, de origem latina, usado na escrita para delimitar sintagmas. A princípio, significava varinha; evoluiu para pequeno traço ou linha; depois, tornou-se sinal de pontuação. Em algumas situações, a vírgula é facultativa; em outras, ela é obrigatória. Veja, a seguir, duas situações: a separação de termos no interior de um período simples e a separação de orações no interior de um período composto.
No interior de um período simples, usa-se a vírgula para isolar elementos intercalados, como, por exemplo, uma conjunção (Sua proposta é bastante atraente. Ela, porém, não me interessa), um adjunto adverbial (Este ano, sem dúvida, vou a São Paulo), um aposto (Ronaldo, o capitão do time, foi o primeiro a entrar em campo) ou uma expressão explicativa (O protagonista de Náufrago, ou seja, Tom Hanks, ganhou dois Óscares de melhor ator).
No interior de um período composto, usa-se a vírgula para separar os adjuntos adverbiais (Você não se preparou para o teste e, certamente, será reprovado), os complementos verbais pleonásticos e/ou topicalizados (O  gato, eu  o  vi no telhado), as orações adverbiais (Quando chegamos à escola, as aulas já haviam começado), as orações reduzidas (Dado o sinal, os corredores saíram em disparada) e as orações adjetivas explicativas (Os jogadores, que foram criticados pelo técnico, pretendem sair do clube).
Uns gramáticos afirmam que o adjunto adverbial e a oração adverbial, deslocados da ordem frasal direta, devem ser virgulados para marcar esse deslocamento. Outros dizem que, nesses casos, a vírgula é facultativa. Outros, porém, ensinam que, nos casos em tela, o uso da vírgula deve condicionar-se ao número de palavras contidas no adjunto adverbial ou na oração adverbial. Há também, entre os gramáticos, a afirmação de que a oração adverbial, posposta à principal, só não deve ser virgulada se for final ou conformativa.
Há ainda, entre esses estudiosos, diferentes opiniões quanto ao uso da vírgula nas orações reduzidas. Os pontos conflitantes são similares aos dos adjuntos adverbiais e das orações adverbiais. E as divergências não param por aí. Então, qual regra usar? Se for num vestibular ou concurso, use as regras da gramática indicada no edital. Agora, no cotidiano, busque a harmonia, o ritmo e a clareza.
Enfim, o uso da vírgula não fácil. Esse é um assunto que gera controvérsia entre os gramáticos. Melhor dizendo, não existe unanimidade nem regras absolutas entre eles. A vírgula é um elemento da escrita em que muitos tropeçam. Isso porque, para virgular bem, é preciso ter um bom conhecimento de sintaxe. Uma vírgula mal colocada ou omitida, entretanto, pode mudar o sentido de um texto ou comprometer sua clareza.
 
* Professor de Português, especialista em Letras e Gestão Escolar.

Comentários