Tecendo o texto da vida de Ronaldo Junior / foto: Marcelo Luiz de Freitas

enviado pelos autores

Tecendo o texto da vida



O autor segura um fio,
E o passa para o papel tecendo
Um sentimento próprio.

O tecelão da vida, artista sem fim,
É capaz de transformar fios em
Pedaços da auréola de um querubim,

Pois a arte é a imagem da alma ardente,
Em cada instante que passa
E se eterniza no presente,

Pelo fato de o momento
Ser tecido num texto
Pelo autor que trefila seu peito.


Sentimentos são inevitáveis na criação,
Pois ninguém tece um tecido
Sem uma profunda paixão.

Dessa forma, o Tecelão Criador
Se mostra sempre presente
Através do poético furor

E transmite vida ao ser que exalta
A poesia em cada gesto, e, ao escrever,
Alcança a liberdade imediata.

*Poema classificado para integrar a antologia do Concurso Nacional Novos Poetas, Prêmio Poesia Livre 2014.

Comentários