Pular para o conteúdo principal

TRAJES POÉTICOS - CAPFINIDA

CAPFINIDA - poema que em certo momentos repete no começo  algumas palavras do fim da estrofe anterior, numa espécie de anadiplose, como no caso deste poema de Rosália Castro - Cantares Gallegos


Cada estrela, o seu diamante;
cada nube, branca pruma;
trist'a a lua marcha diante

Diante marcha crarexando
veigas, rados, montes, rios,
dond' o dia vai faltando

Falta o dia, a noite escura
baixa, baixa pouco a pouco
por  montanãs de verdura...

Comentários

Anônimo disse…
Viver

Vivo a vida a sonhar
Vivo a vida a sorrir
Vivo a vida a poetar

A poetar vou seguindo
Seguindo vou meu caminho
Caminho meu que acho lindo

Assim pretendo viver
Viver pretendo feliz
Ver a vida acontecer
Cida Micossi
Anônimo disse…
TRISTEZA

A chuva cai mansamente
e apressa meu coração
num compasso atormentado.

Atormentado compasso que me enlouquece.
A chuva desaparece.
E o sol volta a brilhar.

Mas o meu coração louco
vai se calando, sofrendo.
Sofrendo, calando começa a chorar


Ludimar Gomes Molina






















"O Teu Sabor"

Já não posso te esquecer
Esquecer-te já não posso
Sem esse corpo pra me aquecer.

É tão grande o meu amor
Que já não sei mais me recompor
De tantas delícias de puro sabor

Que senti por ti, meu Senhor!
Senhor meu, és minha alma: - Estou a teu dispor
Pra sentir eternamente o teu calor!

Márcia Brabo
ENVIADOR POR E-AMIL

****************

CAPFINIDA
MEU FIM
A chuva cai mansamente
E apressa meu coração
Num compasso atormentado
Atormentado compasso que me enlouquece
A chuva desaparece
E o sol volta a brilhar

Mas meu coração louco
Vai se calando, sofrendo
Sofrendo,calando, começa a parar

LUDIMAR GOMES MOLINA
Kedma O'liver disse…
SEGUINDO

Céu de estrelas reluzentes
Brilhando como diamantes
Enfeitam o caminho lindo

Lindo caminho de pedras
Onde namorados se encontram
Fazendo juras eternas

Eternas juras que acabam
Quando termina a noite
É tempo de novas quimeras

Kedma O’liver
enviado por Edite Capelo



CANTARES

Aquele mar tão distante
Que pisca, pisca e rebrilha
Reluz igual diamante!

Diamante misterioso
Cheio de histórias e lendas
Naveguei nele, ansioso!

Ansioso nele ouvia
Os cantares das sereias
Que se banhavam ao dia!

edite capelo
poema enviado por e-mail


Cada corda o seu acorde
cada acorde a melodia.
Vai chorando minha viola,
minha viola me arrepia,
me arrepia na canção,
faz fibrilar meu coração.

Está no som da viola,
em cada verso que eu canto.
Eu canto e os males espanto.

Olímpio Coelho de Araújo. (Oca)
enviado por e-mail

poema de Deise Domingues Giannini




IMAGENS
No espelho sua imagem
sua imagem do passado,
mas louvando sua coragem,
deixa o passado de lado.

De lado, o passado é funesto
agora "Venha futuro"!
o passado tão funesto,
mas hoje é só bom auguro.

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.