Pular para o conteúdo principal

Teatro de Máscaras: Luciano Marques

enviado pelos autores


Teatro de Máscaras

Nem sempre somos o que aparentamos ser.
Estamos todos revestidos de aparências vãs,
Escondidos, perdidos, inibidos sob máscaras,
Meros e úteis disfarces camuflando as dores.


Pobre de uns, tentando ser iguais aos outros!
Pobre de nós, atores encenando nós mesmos!
Pobre de nós que esmeramos guardar metais!
Pobre daqueles que têm o que valor não tem!
   
 
Formamos o elenco desse teatro de máscaras,
Onde os personagens são monstros sem rosto.
E nós, ilustres fantoches, bonecos controlados.

Num mundo que não faz de conta, encenamos,
Inventando falas, personagens e até tristezas!
Somos atores sem texto e sem contexto, às vezes.

Luciano Marques

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

Trajes Poéticos - RIMA ENCADEADA

Palavra final do verso que rima com outra palavra do meio do verso seguinte.

*****

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.