Pular para o conteúdo principal

ERA... -por EMANUEL MEDEIROS VIEIRA / foto: Marcelo Luiz de Freitas


ERA...
(Narrativa da esperança)

EMANUEL MEDEIROS VIEIRA

(OUVINDO “JESUS, ALEGRIA DOS HOMENS”, DE JOHANN SEBASTIAN BACH)
PARA CLARICE E PARA LUCAS – E PARA AS CRIANÇAS DO BRASIL
Opte por aquilo que faz o seu coração vibrar. Apesar de todas as consequências”.
                                       (Osho – 1931–1990)


Era tudo ao contrário.
Seria tudo melhor?
O Sagrado estava no mundo,
e andávamos todos sem medo.
Não, não há bichos pré-históricos,
Nem história há.
Mas não havia matanças, obuses, morteiros pernas arrebentadas, a cobiça maior, tantas guerras- – o poder é tudo.

(Eu sei: sempre houve. Mas preciso “mentir” para ser “sincero” no que escrevo.)
Reservo-me ao direito de por hoje – só por hoje – de ser ingênuo.
E de repactuar-me comigo mesmo, com os outros, com o cosmos.
(Tudo anda tudo tão melancolicamente grave e desgraçado. Mas abraçamos a vida – intensamente.)
Eu sei: vivemos numa época de absoluta regressão ética.)
O mundo era outro, havia risos – era tudo sonho.
“Saudosista – dizes que tudo era melhor porque já passou”, adverte-me um promotor interno.
Hoje não, por favor: nada de  narrativas estilhaçadas – quando todo mundo morre no final.
Um piquenique, campinhos de futebol, praias limpas, morros onde podíamos andar à noite,
E o melhor de tudo: não tínhamos medo.
Ou não? Não sei. Sim: tínhamos outros medos.

Termino com Carl Gustav Jung (1875–1961): “O sentido torna suportável uma grande parte das coisas – talvez tudo. Ele nos conecta com a realidade, inunda as trevas com luz e nos faz atravessar o sofrimento.”


(Salvador, junho de 2015)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.