PONTE NECESSÁRIA - por ERNANI FRAGA

Enquanto ontem, domingo, Noia tirava uma soneca sobre a poesia, nós estávamos trampando na edição do livro PONTE NECESSÁRIA de Ernani Fraga - ed. Costelas Felinas
http://artesanallivros.blogspot.com.br/


confira a apresentação e os poemas que compõem o livro.



    O poeta que conheci um dia em Sampa, tantos anos depois reaparece e me entrega folhas trans-bordantes de poesia. Preciosidade nesses tempos in-fames: poemas!
   Pede que prefacie seu livro. Pedido irrecusável.
   E me ponho a ler/ouvir/ver/sentir.
   De pronto, como sinaliza o título do poema Com um murro de calor, Ernani, “mãos enterradas nos bolsos”, resiste “dentro do silêncio onde o incêndio vive”.
  

Confesso: temi pelo poeta nesses caminhos tor-tuosos; que o advogado, avocando seu direito, sufocasse a poesia. Constato, feliz, que tal fato não ocorreu. Ao contrário: o poeta se aprimorou, se temperou, e aprendeu com os disfarces.
   Se em seus versos transparece niilismo também revela o solidário que enxerga “a multidão imensa, silenciosa e tensa, /alimentada de tapas e trapaças/
obscuramente adormecida”.

   Felizmente o poeta não dorme: acordado, vive a poesia. E nos concede a graça de a compartilharmos com ele.
Só temos a nos enriquecer com isso  (por Valdir Alvarenga)

COTIDIANO

catando o amanhã
o dia de hoje prossegue
o de ontem
mesma luta
mesma trégua
tantas ruas
tantas rusgas
e mesmos
continuamos nós
em gruas
apesar dos maxilares
quebrados

mas levantamos sempre
e mastigamos
toda hora
toda vida
toda a vida
emerge inteira
toda rascunho,
toda ilusão

: dá medo

sempre recomeçar no limite
das brigas
sobretudo das brigas
com nosso eu escondido


ETERNIDADE


 enquanto
no oceano da eternidade
 me dissolvo
          em finitude
a vida vivida
atenta à certeza
do mal que me espreita
replica
                e procria
ajeita o futuro
todo dia
na manhã dos tempos
e do corpo que se enfeita
com a ilusão da liberdade
nos instantes breves
dos dias 

Comentários