Pular para o conteúdo principal

COLEÇÃO PRATO DE SOPA - antologia escrita por moradores de rua

A coleção foi toda escrita por moradores de rua, que aprenderam a técnica da poesia Haicai, através do projeto Lendo, Refletindo e Reproduzindo de Mahelen Madureira.

Os encontros ocorriam na Associação Prato de Sopa Monsenhor Moreira em Santos. 
Ao todo foram 07 títulos, sendo que CANÇÃO DO ANDARILHO ganhou o PRÊMIO BUNKIO DE LITERATURA 2014 - as ilustrações das capas também foram desenhadas por moradores de rua, salvo a capa verde com mãos dadas que foi criada por Iracema Ananias..

Os livros tiverem prefácio de Teruko Oda, Regina Alonso, Sonia Adarias

PREFÁCIO DO LIVRO OÁSIS
Para o viajante no deserto a grande benção é o oásis. A vida é dura contra areia e calor, mas se mantém porque o oásis a retempera. Retempera, mas não a detém junto a si, porque por vocação será sempre passagem em rota de viajante. E este sabe, ou não sabe, aonde quer chegar, mas com certeza no oásis não pode morar.

Milagre vindo da água que assoma à superfície e forma pequena lagoa, o oásis tem pouco espaço, tem poucos recursos, pode albergar a poucos que obrigatoriamente têm que vir e ir, em ciclo contínuo.

Estranho destino ser tão essencial em tão curta estadia. Ser vital por momentos. Mas não quaisquer momentos. Nos momentos do cansaço extremo e do refazimento, ao oásis o viajante entrega o fardo desse cansaço e aguarda novas forças para deixá-lo e retomar viagem. Precisa colher coragem para seguir sua rota de areia e calor. 

Ao matar a sede, o viajante pode olhar em redor. Ao satisfazer o básico, pode despertar para o belo, pode abrir-se para a colheita inesperada. A colheita do sensível que preenche a Alma. Sem sede e à sombra, o viajante volta-se para si mesmo e percebe-se como pessoa. Dono de pensamentos que retornam, de um coração que pode amar, busca no instinto e nas estrelas uma nova rota e seu destino.

O oásis não se preocupa com os medos daquele que por ele passa, e com palavras de silêncio lhe murmura: coragem, para chegar a seu destino, ninguém pode furtar-se do caminho. Por isso não pare, nem no espaço e nem no tempo. Muito menos no tempo remoendo o que passou, imobilizado entre minutos que não deixa seguir adiante. Viajante, liberte-se do destino de viver um tempo que já não conta e sofrer dores pelo que não deixa cicatrizar.

O oásis sabe que tudo é passageiro, os viajantes, os frutos e até mesmo a água de sua lagoa que se entrega sem parar ao vento e precisa ser reposta pelo coração da Terra.

E nessa incessante mutabilidade, só duas coisas permanecem: a presença acolhedora do oásis e a gratidão de cada viajante.   

Deus abençoe o Prato de Sopa por ser um oásis...
Deus abençoe a cada morador de rua
em sua viagem...
Deus abençoe os autores pela colheita inesperada de seus haicais...

prefácio do livro OÁSIS escrito por Roberto da Graça Lopes


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.