Pular para o conteúdo principal

SOCIOLOGIA DOS TRÓPICOS - Dimas Macedo

O fervor literário de Iracema Régis parece mesmo que não para. De tempos em tempos, eis que essa inquieta escritora abre suas gavetas, polindo os cristais do seu imaginário e transformando em livros aquilo que lhe foi ditado pelas suas pesquisas ou pelos alforjes da sua oficina criativa. Cearense de Limoeiro do Norte, encontrou em São Paulo o destino da sua visão de andarilha, dali agitando o cenário cultural, não apenas do ABC paulista, mas também e especialmente de Mauá, com ressonância em vários Estados do Brasil. Integrante do Colégio Brasileiro de Poetas, ali fez-se figura de relevo. Abraçou a poesia popular e destacou-se como cordelista, mas nunca perdeu a sua condição de poetisa de linguagem erudita e de ensaísta e crítica literária que se reinventa, desde o início da sua produção. É autora de mais de uma dezena de folhetos de cordel e, entre os seus livros de poemas, eu destaco: Argamassa (2005) e A Palavra Exata (2012), sendo de 2006 o seu livro Babilônia de Babel, no qual ela se revelou conhecedora do texto literário e analista vivaz da sua estrutura semântica. Agora Iracema Regis volta ao ensaio literário e me escolhe como prefaciador do seu livro – Sociologia dos Trópicos (São Paulo: Giostri, 2016) –, reatando os Fios de Ariadne com que tecemos a nossa convivência e com que nos irmanamos na seara do intercâmbio de ideias. Em A Sociologia dos Trópicos pulsa o estro da sua visão de ensaísta, nos domínios da crítica, da cultura popular e do memorialismo, estudando a obra ou a personalidade de expoentes da nossa Literatura e da nossa Sociedade. Nesse conjunto de artigos de Iracema Régis não faltou o seu olhar sobre a Música, a Política, a Cidadania, a Sociologia e o Imaginário, mostrando-nos a autora a sua formação polimorfa, a sua cultura humanística e o seu amor pela militância literária. A sua produção cultural não paga tributo à cultura acadêmica. É despojada e talvez tributária da cultura que apenas almeja a audiência franca ou a força emotiva da compreensão e da cumplicidade. E nisso se resume a sua percepção criativa, a sua interação com os leitores e a afirmação da sua experiência no campo literário. Iracema Régis é escritora que se firma no contexto da sua geração, honrado a cultura brasileira a partir das suas raízes fincadas no nosso Ceará, Província Universal da Luz, Terra do Sol e dos Ventos e da Resistência Cultural.

do livro Resenhas e Perfis de Dimas Macedo
postagem enviada pelo autor

Comentários

Anônimo disse…
Muito bom texto.
Pamela Andrade

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.