Pular para o conteúdo principal

O TRAVESSEIRO MAIS PRECIOSO DA MARQUISE - de VIEIRA VIVO

CONCURSO DE POEMAS


            Um pequeno grupo de vinte a trinta pessoas aguardava, entre burburinhos, o início do concurso em um auditório público ornamentado por extensas paredes e portas de vidro. Aglomerados no saguão, em meio a cumprimentos e sorrisos, os concorrentes e convidados desfilavam suas ansiedades e observavam os organizadores a correrem esbaforidos no intuito de se amoldarem ao ditame dos horários. Segundo a chamada para o evento, cada participante deveria trazer três cópias de seu poema e inscrever-se minutos antes da leitura.  
            A normalidade do ambiente foi quebrada, de repente, por um alvoroço de vozes vindas do hall de entrada onde dois seguranças tentavam barrar a passagem de um sujeito maltrapilho. O homem não aparentava embriaguez, porém os chinelos gastos, as calças rasgadas, as mãos sujas e um forte cheiro de mijo e suor depunham contra a sua presença. Todos silenciaram imediatamente e concentraram todas as atenções na retirada, à força, daquele intruso.
Envolvido pelos braços dos vigilantes, enquanto se via arrastado para fora, o homem conseguiu a muito custo retirar um papel sujo e amassado do bolso, erguê-lo para o alto e berrar em meio às lágrimas: 
            – MAS, EU TROUXE UM POEMA!!!!!

             Aquela senha suplicada em desespero, teve um efeito paralisante sobre todos. Os seguranças o soltaram imediatamente. O silêncio se impôs sobre os gestos e os olhos fixaram-se ávidos naquele homem rude enquanto ajeitava as roupas puídas. Então, mostrou novamente o poema, respirou fundo e disse: 
            - ANTES DE SER MENDIGO EU JÁ ERA POETA! 
            O coordenador do concurso, imediatamente, providenciou mais duas cópias manuscritas de seu único poema e recomendou-lhe aguardar a chamada. Ficou encolhido em um canto, cabisbaixo, enquanto era observado  pela plateia distante. Ao anunciarem seu nome, subiu ao palco e recitou sofrimentos, agruras, abandono... e suas palavras, juntamente com as dos demais, misturaram-se aos reflexos luminosos dos lustres. Foi concedido ao seu trabalho "Menção Honrosa" e por isso, foi merecedor de um grosso livro de poemas, o qual foi recebido com o mesmo respeito que devotamos aos objetos sagrados. 
            Ao término do evento, enquanto as pessoas despediam-se, festivamente, de uma corriqueira noite de atividade literária, um homem solitário atravessava a rua a passos lentos e apertava contra o peito a sua valiosa conquista. Por algumas noites, teria em mãos, e ao seu total dispor, o travesseiro mais precioso da marquise.

faça 01 exemplar de sua obra grátis



            

Comentários

Hilda Curcio disse…
Vieira Vivo, que título maravilhoso "O travesseiro mais precioso da marquise", você, aliás, é ótimo em títulos, seu "Mingau das almas", "Humor cego" são dois dos melhores títulos que já vi. Deste "travesseiro" tirei para mim o "Encontro" e "Beira-mar", dos melhores textos que li nos últimos dias. Adorei! Continuem você e Cláudia Brino com essa trabalhança/trabalho/esperança de conseguirem germinar a literatura nos corpos dos brasileiros. Parabéns! Hilda Curcio

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.