Pular para o conteúdo principal

CAIXA DOIS É CRIME - por Emanuel Medeiros Vieira

CAIXA DOIS É CRIME

EMANUEL MEDEIROS VIEIRA

O lugar-comum da maioria dos políticos quando dizem que os recursos de suas campanhas foram “registrados na Justiça eleitoral” não tem mais sentido.
Antes mesmo da “lista do Janot”, a decisão do Supremo de abrir inquérito contra o senador Valdir Raupp (PMDB-RO), como avaliou Eliane Catanhêde , “cria um precedente e atinge em cheio a maior trincheira dos políticos para se defender: recibos e valores declarados oficialmente à Justiça Eleitoral não valem mais nada, ou valem muito pouco, (...), pois não atestam nem a licitude do dinheiro nem a idoneidade do candidato”(...).
Caixa Dois – é preciso insistir – é crime, é corrupção.

É claro que as oligarquias, as classes dirigentes, os partidos políticos, enfim, os velhos donos do país não vão ficar quietos esperando a degola.
A moralização e a ética não interessam a eles.
“A principal estridência desse coro ocorre quando se vê que se planeja uma anistia para delinquentes que se recusam a confessar. Todos operam no caixa dois, diz o coro, mas eu nunca operei, responde cada um dos cantores”, escreveu Elio Gaspari.
Para ele, só a rua salva a Lava–Jato.  
A Lava-Jato “foi na jugular da oligarquia política e de boa parte da oligarquia empresarial do país”.
E articulam-se tenebrosas transações para que a pele da classe dominante seja salva.
O Procurador-Geral, Rodrigo Janot, bem disse: há uma ameaça real à democracia no Brasil, pelo nível astronômico da corrupção (sistêmica).
E que obriga aos brasileiros de boa vontade a tomarem posição firme em prol da igualdade e da justiça.
É preciso lembrar, que o Brasil foi o último país independente das Américas a acabar com a escravidão.
Complementa o jornalista Elio Gaspari (a caixa alta é minha): “SEM A RUA, A OLIGARQUIA UNIDA JAMAIS SERÁ VENCIDA”.
E a grande pizza será assada.
ADENDO SOBRE UM PROVÉRBIO POPULAR (“Pimenta nos olhos dos outros é refresco”):
O “andar de cima”, na reforma da Previdência,, quer que a aposentadoria só ocorra aos 65 anos.
Temer aposentou-se aos 55 anos. Geddel aos 51. Padilha aos 53.
(Salvador, março de 2017)

postagem enviada pelo autor

Comentários

Anônimo disse…
Sim essa corrupção é demasiadamente feroz agressiva e totalmente vergonhosa.
jorge Carlos
artesanal livros disse…
Prezado Jorge Carlos
Agradeço o lúcido comentário. É mais um estímulo para que continuemos na trilha em busca da Verdade e da Justiça.
Fraternalmente, Emanuel Medeiros Vieira.

ENVIADO POR E-MAIL PARA NÓS

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.