Pular para o conteúdo principal

SEGUNDOS - de ARI MASCARENHAS

"Um exercício de escrita automática revela instantes". Essa é a única afirmação racional que se pode fazer de um texto tão impulsivo e subjetivo como o que propomos trabalhar. Não se trata de um produto do intelecto, de um objeto enquadrado nas normas gramaticais e tampouco preocupado com tais regras; trata-se do despertar anímico, um grito impulsivo de nossos instintos, uma marca do impacto entre o universo sensitivo e o mundo dos sentidos. Um instantâneo da alma. Um resgate aos momentos em que o desregramento era nossa maior liberdade, ainda que não tivéssemos consciência dela. O retorno ao lúdico, ao natural, ao instintivo... conduzido por palma e dedos desgovernados que cravam no papel letras, rabiscos, sinais...signos e símbolos.
É mesmo um instante mágico.

Agora imagine quando essa magia se manifesta dentro de uma sala de aula, com alunos do segundo ano médio, durante cinco inesquecíveis minutos, que conseguem expor e registrar os impulsos apaixonados de corações tão distintos e ávidos por manifestação. Imaginou? Cinco minutos são trezentos segundos de liberdade que a escrita auto-mática trouxe a esses jovens, são trezentos segundos em que eles foram instigados a permitir que suas mãos, cansadas de tantos afazeres acadêmicos, deslizassem no papel e formatassem naquela folha uma imagem que representasse, sem a intenção, uma perene viagem para fora de todo e qualquer universo regrado. Trezentos segundos para que cada um, naquela sala, pudesse derramar em sua carteira, sem medo da censura moral ou linguística, seus medos, anseios, desejos, crenças, sonhos, incômodos... Enfim, trezentos segundos sem máscaras. E aqueles que optaram por continuar com as regras, tinham a liberdade de fazê-las. Nada é imposto em uma escrita automática. Tudo se sente se experimenta, se permite. Tudo transcende de dentro do indivíduo. É a prática da antropofagia modernista.
Meu papel aqui é o de alinhar no modelo costumeiro, consumível, regrado, parte do universo poético (antes inimaginável para a maioria) que eles nos permitiram ver, ler e apreciar. O texto individual de cada escrita automática foi devolvido ao aluno, pois entendemos que cabe a cada um a decisão de mostrar as particularidades de sua criação. Portanto, o que veremos aqui, são películas que se projetaram em minha tela mental com base nos roteiros surreais dos nossos estimados alunos.

http://artesanallivros.blogspot.com.br/
faça 01 exemplar grátis de sua obra

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.