AMOR ERVIL AMOR LIVRE - Clevane Pessoa

LIVRE-se de laços, amarras,
algemas, mordaças.sem jamais parecer igual entre iguais:
foto Cláudia Brino

ERVIL
        ILHA
NÃO SEJA UMA PÉROLA VERDE APERTADA EM UMA BAGA
A OUTRA ESFERA ACOMODADA.
ABERTA AS DUAS LONGAS PARTES, ROLE PARA LONGE,
POIS SE NÃO O FIZER PODERÁ SER APENAS MAIS UMA
CONSERVADA  EM UMA PEQUENA LATA.
ESTA, ABERTA, NÃO SIGNIFICARÁ  A OBTENÇÃO DA LIBERDADE.

 Não seja uma      ilha.
Não seja uma ervilha.


Não esFERA
Mas    FERA
                       de asas
pantERAlada

No amor é preciso ser/ter ALMA  libertária
Cantar bolero ou ária
Reinventar a hora da neblina
escolher a posição desejada.
da  do kamasutra à primária:
primEVA   a imitar os animais
serpenteie-se , enrosque-seio
seja ioiô no espaço dos desejos.
Escolher entre ser  pente
nos cabelos  do tempo
aleatoriaMENTE
( das escolhas de ferir ou manchar
 lavar ,salvar, curar)
ou   ser  esCOVA
indefinidaMENTE, desmanchar os cachos naturAIS.
Deixe-se levar ao matrimônio
celebrado apenas pelos dois nubentes
-são apenas   testemunhas , os demais.
sem templos , sem contratempos,
com a liberdade de ser, no espaço para estar
e fazer.
Parcerias  MAR cadas pelos deuses,
Cada qual surfando suas próprias ondas,
Porém no mesmo MAR
Os       nomes    abraçados
Os  beijos  ,portões escancarados,
Para um mundo sem peias.

postagem enviada pela autora




Comentários

Cris Dakinis disse…
Poema muito gostado. Em especial o MAR cadas... Muito criativo, parabéns!!
clevane disse…
CRIS DAKINIS, QUE BOM TERES APRECIADO ESSE EXERCÍCIO POÉTICO!GRATA A TI E A TU CLAUDIA BRINO, PELA POSTAGEM!
ABRAÇOS.
CLEVANE