Pular para o conteúdo principal

CRÔNICAS DO SILÊNCIO - Rodrigo Poeta

O autor de Haicais Ásperos vem, agora, em prosa "danificar" aquilo que temos de mais precioso: nosso ego,  -a manhã é para as borboletas, o período da tarde é dos marimbondos- a cada texto avançado o leitor poderá sentir a mesma picada que ocorre na pág. 09.
Ficamos inflados, nos preenchemos de tudo aquilo que imaginamos ser, mas a picada, ah! a picada desfigura não só a face, ataca os falsos de fé, corrompe a pele da soberba e nos coloca como atores em um teatro onde no cenário é revelada a máscara caída e a inércia dos tolerantes.
Ficamos como personagens de uma história que sabemos há muito fazer parte, e como leitores à procura de uma fuga, desejamos do autor o mesmo dedo na boca que aparece na capa . - por Cláudia Brino


A ÉTICA DO PÃO

    Uns se intitulam a nata do leite cultural e outros são alternativos em vender a alma politicamente na Costa do Sol. No dossiê do pão doce, o Rei de Copas diz que está cansado, o homem da farinha alternativa diz que está cansado, o bobo da corte agora amigo do Rei de Copas está sem rumo...
    No dossiê do pão doce sem açúcar, o infiltrado também conhecido como o dodói, diz que quer comer do pão da ética e fala para todos também comerem o pão da ética.
     O problema é que o alternativo cansado já falou que não tem mais farinha, que o padeiro não faz mais o pão doce há décadas, pois a ética do pão morreu desde que começaram a implantar feudos culturais na região.
     O radical diz que tem a fórmula para fazer o pão, mas esquece que não há mais farinha...
      Tudo isso ocorre devido à intolerância, vaidade e claro falsidade, pois se dizer cansado e santo, se dizer cansado e salvador da pátria, se dizer radical e ir para guerra... Realmente não dá para acreditar em palavras plantadas num trigo podre e burro, que tem a audácia de dizer que quem planta o bem plantará o bem e o contrário só discórdia... Engraçado ver isso tudo dentro de um fóssil de pão em seu miolo, que contém um alternativo, um radical, um Rei de Copas, um bobo, um padeiro e um faroleiro a enxergar tudo isso.
      Quero pão! Também quero sonho! Quero luz e sal!
      O que adianta um ter a fórmula e não ter a coragem, o que adianta um ter a farinha, mas vende ela a troco de migalhas, o que adianta o Rei de Copas insistir nesta guerra em vão. O faroleiro do Arraial sonhou com a união de todos os falsos reis de feudos culturais junto com os radicais, os alternativos e com os guias da luz do Farol para sim produzirem o pão doce novamente. Realmente só é um sonho ver todos juntos.
       A Ética do Pão nunca existiu, pois o que falta para todos na verdade é coração e simplicidade nas palavras vindas do Farol.
       O Farol é o nosso guia, é a nossa fé de um dia ver tudo em perfeita harmonia.
       A dualidade existe e é inata, mas quem sabe a nata vire rosquinha e o farelo uma fórmula alternativa de uma paz, mesmo que seja provisória dentro de uma Ética do Pão.
       Vou indo, pois o carro do pão está passando na minha rua!

        - Está passando em sua porta o carro do pão! Pão doce, pão de pizza, bolos, tortas e muito mais...Está passando em sua porta (palavras vindas do coração) o carro do pão (vida)!


Adquira diretamente com o autor
Costelas Felinas - livros e revistas artesanais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.