Pular para o conteúdo principal

LOS JAIVAS E SUA MÚSICA UNIVERSAL - Eduardo Waack

Certas atitudes que tomamos ecoam através de nossa existência como um sinal dos tempos a reverberar aquela mensagem firme de resistência latino-americana. Resistência enquanto união, busca de identidade comum, engajamento por um planeta melhor, mais justo. Pedra jogada na represa, seus círculos concêntricos adquirem dimensões cada vez maiores, vibrando, movimentando, transformando-se. Um dia em 1986, após dar carona em São Paulo a uma família de artesãos chilenos em dificuldades, fomos lanchar em minha casa. Na despedida, recebi do mais velho deles uma fita-cassete, e uma recomendação: “Guarda bem esta fita, pois é a última recordação que tenho de meu país”. O disco em questão era “Alturas de Machu Picchu”, longo poema de Pablo Neruda musicado pelo grupo Los Jaivas em 1981, e desconhecido para mim. Nos despedimos, e pensei nas emblemáticas palavras do novo amigo. Passei anos ouvindo aquela velha fita-cassete, já surrada de tanto uso. Depois, com o advento da internet, descobri aos poucos o precioso trabalho deste grupo tão afinado quanto dissonante, e disco após disco que escutava, crescia a admiração. Na era do e-mail, acanhado lhes remeti um, e obtive resposta imediata. Após intensa correspondência, tornei-me amigo do músico e escritor Eduardo Parra, fato que muito me honra.

Los Jaivas é um conjunto chileno formado em 1963 pelos irmãos Parra (Claudio, Eduardo e Gabriel), Mario Mutis e Eduardo “Gato” Alquinta. A música que produzem possui influência indígena e o espírito pré-colombiano, é um som ancestral com prodigiosos toques progressivos, teclados que se embalam com zamponas, charangas & quenas, uma bateria potente, aquela guitarra que é a representação fiel da raça guerreira, mapuche, asteca, inca, maia. O vocal evoca a condição de criaturas escravizadas que buscam ser livres e a originalidade perdida, pelejando nos labirintos da dominação capitalista. Escutar sua música é viajar pela misteriosa Cordilheira dos Andes, e do alto de seus picos nevados deslumbrar os oceanos Pacífico e Atlântico, vulcões a cuspir fogo e cinzas, exércitos mercenários saqueando ouro e prata, rios caudalosos de extensos mananciais subterrâneos, que se confundem e assumem em lendas, arquitetura, presságios, simbolismo.


postagem enviada por Eduardo Waack

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.