CAMAFEU - Cida Micossi


Na Cellula Mater incrustado
Entre construções contemporâneas,
Por todos ângulos que é observado
Revela imagens dignas de coletânea.

Admirá-lo assim incólume e altivo
É pra pessoas sensíveis e apaixonadas,
Que ali entram com espírito contemplativo
Encantadas com a beleza lapidada.

Em seu interior, guardadas a sete chaves,
Estão obras de inigualável valor,
Abraçam-no espécies de nossa flora,
Moradias de bem-te-vis e beija-flores

Queira Deus que ali fique para sempre,
Testemunha de tempos já saudosos;
Que a cultura permaneça em seu ventre
Sem sucumbir ao tempo impiedoso.

poema e foto enviados pela autora Cida Micossi, 03/09/2016

Comentários

Marília Paixão disse…
Cida, querida amiga e poetiza, Deus a abençoe por tão belo poema, aplausos com méritos poetiza. Abraços saudosos.
Anônimo disse…
Marilia querida, agradeço de coração seu carinho. Abraço, Cida
Cris Dakinis disse…
Que poema mais lindo, querida Cida!
Ele conseguiu passar a real admiração pelo bem cultural preservado. Eu adorei de verdade. Parabéns!!
Anônimo disse…
Cris Dakinis, obrigada por seu carinho. O prédio é uma joia rara no meio de tantos edifícios de concreto contemporâneos. Abraço, Cida
Anônimo disse…
Lindo. Me fez voltar à infância de minha filha quando à levava na Biblioteca que tinha no casarão.
Jurema Gomes
Anônimo disse…
Jurema Gomes, fico feliz que você tenha gostado. Abraço,
cida