Pular para o conteúdo principal

NOMOFOBIA - Emanuel Medeiros Vieira

Antecipo-me: a tecnologia e a era digital são das maiores conquistas da humanidade  quando usadas para o Bem. (que os gentis leitores perdoem-me a platitude...).
O uso do celular se popularizada cada vez mais.
Acredita-se que, em 2020, haverá mais pessoas com celulares do que com eletricidade ou água no mundo, segundo previsões da empresa de tecnologia Cisco.
Apesar das facilidades que esses objetos concedem (visualização de filmes e programas de TV, realização de transações financeiras e acessibilidade), estudiosos  afirmam que pessoas podem apresentar um padrão de uso problemático, conhecido como “nomofobia”
(A palavra é uma abreviação do inglês “no more phone phobia”, e foi criado no Reino Unido para descrever “a compulsão pelo telefone móvel.)
Matéria de Gabriela Albach para o jornal “A Tarde” (de Salvador), informa que Japão, Coreia do Sul e China “reconhecem esse vício como uma questão de saúde pública e têm programas de saúde que tentam abrandar o problema”.
No Brasil já existem institutos voltados para a chamada “desintoxicação digital”, quando o “uso excessivo de aparelhos ligados à internet gera prejuízo na vida real do usuário”.
O psicólogo Cristiano Dias – coordenador do Grupo de Dependências Tecnológicas – escreve: “O que assusta é que eles são muito parecidos com os manifestados por dependentes de drogas. Exemplo: quando não está com o seu smartphone não mão, o usuário fica irritado e ansioso”.
Estudo feito no EUA (informação da mesma matéria citada) pela organização SecurEnvoy mostrou que os donos de smartphones conferem o celular pelo menos 34 vezes ao dia.
A pesquisadora brasileira Anna Lúcia King, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), realizou uma pesquisa  e constatou que 34% dos entrevistados afirmam ter alto grau de ansiedade sem o telefone por perto.
A União Internacional de Telecomunicações, mais de sete bilhões de aparelhos celulares estão em uso no mundo.
Que fazer? É um processo muito difícil – pior, quem sabe, para as novas gerações que cresceram com a existência do telefone móvel.
Já disse, em outro texto, que a internet é a maior praça pública do mundo.
Como usar essa praça? Não tenho respostas. Poderia cair em lugares-comuns, como “educar os jovens”, “buscar o equilíbrio” etc., mas já não tenho idade para dar conselhos, e antiguidade não é posto...
Prefiro, então, terminar com Belchior (que estava traduzindo a “Divina Comédia”, de Dante  Alighieri  (1265-1321)– o que é uma tarefa hercúlea:

“NA HORA DO ALMOÇO”
  (BELCHIOR –1946-2017)
(Vencedora do Quarto Festival  Universitário da MPB (1971):
“Cada um guarda mais o seu segredo/A sua mão fechada, a sua boca aberta/O seu peito deserta, sua mão parada/Lacrada e selada/E molhada  de medo”


(Salvador, maio de 2017)   

postagem enviada pelo autor     

Comentários

Anônimo disse…
Lembro de uma foto de um jornal que mostrava um refugiado de guerra com o celular na mão e em volta aquela cena desoladora.
rodrigo arantes

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.