Pular para o conteúdo principal

PARE OLHE ESCUTE - Hilda Plácido

Ensino

                         Uma vez professora, sempre professora. Confesso que fiquei com os olhos marejados, ao ver a reportagem sobre o estado de abandono do nosso saudoso Colégio Canadá. Já havia lido outras matérias sobre o assunto, sobre escolas depredadas, mas estas ficavam em bairros pobres da periferia. Um colégio como o Canadá, em plena Vila Rica! Não dá para acreditar!
                        Muito se debate sobre o Ensino no Brasil, tanto que a situação ficou paradoxal: muito para falar... nada para falar. A verdade é que o brasileiro está doente e a anamnese já foi feita e refeita. Doente de uma grave doença social, que fiquei conhecendo há alguns dias, lendo uma crônica do Estadão: a anomia (ausência de normas). Ou pensam os nossos políticos que ela não é contagiosa? É!! E está contaminando o brasileiro, enfraquecendo-o de cidadania que – escreve o cronista -  “nada mais é do que um estado de consciência”. A consciência do povo está cada vez mais carcomida pelo ceticismo, pelo desalento, que se abatem, primeiramente, sobre os mais velhos,  mais  esclarecidos, mais sensibilizados. Reparem que estes, penalizados, querendo poupar filhos e netos de  um estado
tão deprimente, acabam assumindo as vicissitudes deles, além das próprias. Tornaram as novas gerações mais apáticas. Para que se esforçar, para que procurar, se os “velhos” assumem tudo, principalmente gastos e obrigações? É uma geração sem finalidade, já que o futuro se avizinha incerto e tarda a chegar. É uma geração sem valores éticos, dignos, que também a escola já não consegue cultuar.
                        E então chegamos a uma “juventude mais do que transviada, amoral, que só pensa em dinheiro, prazeres, que consome drogas, desdenha de tudo, age sem pensar, mata”.
           É um círculo vicioso, pois muitos desses jovens chegam ao Poder por fisiologismo ou corrupção, carregando nas suas bagagens, todos aqueles fatores negativos na construção de suas mentes ou consciências.
                        Há exceções, é claro, famílias que conseguem criar “flores no lodo”, mas a grande maioria da sociedade acaba desrespeitando o sistema legal,  principalmente alguns políticos, os grandes fraudadores, corruptos, criminosos de colarinho branco.
                        Conhecemos de sobra as causas da doença que foram citadas no artigo: “falta de oportunidade, perspectiva, excessiva concentração de renda e o consequente hiato social, deficiência de estrutura básica urbana, desvalorização do Ensino, ausência de limites e punições exemplares”. É claro que há muitas mais e o remédio tem de ser amargo, em doses gigantescas, e está claro que não será ministrado pelo Poder Público.
                        A atitude missionária de cura terá de ser assumida pelas Escolas, pelos órgãos de comunicação em massa, e por aquela faixa da sociedade que, como um sacerdócio, teima em salvar nosso país do estado escatológico em que se encontra.

Costelas Felinas - livros e revistas artesanais

Comentários

clevane disse…
Em que pese denúncia,depoimento,sentimentos da autora,tao lúcidos neste texto,o que ele tem de clareza e estilo.supera o amaro gosto do que acontece.Seria melhor se não fosse veraz e sim,uma ficção.Gostei muito dos comentários,mesmo não conhecendo a escola em questão nem a autora.Pungente e necessário,parabens!

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI

VII Seletiva Nacional de Poesia – 2017 Para a edição do livro VII COLETÂNEA SÉCULO XXI - que trará uma Homenagem ao poeta e professor Pedro Lyra – 
(será o 41º livro editado pela PoeArt Editora- DESDE 2006 COM VOCÊ!) (Prazo: ATÉ 30 de abril de 2017)
(somente pela INTERNET)


   A PoeArt Editora de Volta Redonda RJ, institui o livro VII Coletânea Século XXI  (depois das bem sucedidas Antologias Poéticas de Diversos Autores, Vozes de Aço da I a XVIII, depois do sucesso da I a VI Coletânea Século XXI, do livro Cardápio Poético, 1ª e 2ª edição, I a III Coletânea Viagem pela Escrita. Dentre os já homenageados por suas contribuições literário-culturais em nossos livros, estão: Adahir Gonçalves Barbosa, Alan Carlos Rocha, Álvaro Alves de Faria, Astrid Cabral, Clevane Pessoa, Flávia Savary, Flora Figueiredo, Gilberto Mendonça Teles, Maria Braga Horta (in memoriam), Maria José Bulhões Maldonado, Mauro Mota, Olga Savary, Oscar Niemeyer, Pedro Albeirice da Rocha e Pedro Viana.


SEM TAXA DE INSCRIÇÃO: (AT…

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.